PSG vai começar a "isolar" jogadores transferíveis e que não queiram sair

Luís Campos pretende aumentar a disciplina no PSG

 foto AFP

Luís Campos, diretor desportivo do clube, é o responsável pela medida

O presidente do PSG Nasser Al Khelaïfi admitiu esta semana ao Le Parisien que o clube vai mudar de 'modus operandi', passando a apostar mais em jovens da casa do que em estrelas pagas a peso de ouro.

Nesse sentido, o mesmo jornal avança este domingo que Luís Campos, diretor desportivo parisiense, terá decidido adotar outra medida: os jogadores que sejam considerados transferíveis e se recusem a sair do clube vão ser afastados do restante plantel.

Julian Palmieri, antigo jogador do Lille, onde Luís Campos também instalou esta medida, explicou ao jornal francês como vai funcionar essa espécie de "isolamento" a jogadores que não entrem nos planos do PSG.

"No PSG, os jogadores vão fazer o que nós fizemos. Os jogadores serão removidos do grupo, vão escolher outro balneário, vão tirar-lhes o lugar de estacionamento... Tudo o que seja possível para que eles saiam o mais cordialmente possível. Se não surgir uma oferta, eles vão tentar acertar um acordo para rescindir", referiu.

Com esta medida, o diretor português pretende evitar casos como o de Layvin Kurzawa, lateral esquerdo de 29 anos que renovou o contrato até 2024 durante a pandemia de covid-19 mas não contou nem para Thomas Tuchel nem para Mauricio Pochettino, tendo estado a receber o salário sem praticamente jogar.