Ninguém quis a camisola de Haaland e explicam o motivo: "Não se pode comprar classe"

Haaland em ação no Noruega-Gibraltar

 foto AFP

Nenhum jogador de Gibraltar pediu a camisola ao avançado norueguês.

Na mais recente paragem internacional, a Noruega goleou Gilbraltar por 5-1, numa partida em que Erling Haaland, avançado do Borussia Dortmund, apontou um hat-trick. No final do mesmo encontro, de forma algo surpreendente - Haaland é sempre muito solicitado, principalmente contra equipas/seleções teoricamente inferiores -, nenhum jogador de Gibraltar pediu a camisola ao craque norueguês.

O motivo é agora explicado por Reece Styche, internacional por Gibraltar.

"Nenhum [dos jogadores] queria a camisola de Haaland", começou por dizer em entrevista concedida ao "The Sun". E a razão remonta a março, quando as duas seleções se defrontaram pela primeira vez na história, num dos jogos de qualificação para o Mundial'2022 do Catar.

De acordo com Styche, Haaland ficou "de mau humor", uma vez que não conseguiu marcar nesse encontro, tendo sido substituído na segunda parte. No final da partida, o capitão da seleção de Gibraltar, Roy Chipolina, pediu a camisola ao avançado: "Depois de ambos terminarem as entrevistas para as televisões, Roy disse: "O meu filho é um grande fã teu, importas-te de trocarmos as camisolas?". Haaland simplesmente riu-se, deu meia volta e foi-se embora", contou.

"Teve a oportunidade de fazer o dia, mês e ano a uma criança e disse que não. Pode-se comprar muitas coisas, mas não se pode comprar classe. Talvez os exageros da comunicação sociais lhe tenham subido à cabeça", concluiu.