KFC não gostou da recusa de Mbappé: "Pagámos por algo negociado de forma clara"

Kylian Mbappé

 foto AFP

O avançado francês recusou, numa primeira fase, participar em ações publicitárias que envolvam empresas de fast food e companhias de apostas.

Depois de Kylian Mbappé ter recusado participar, na terça-feira, em ações promocionais da Federação francesa (FFF) que envolvam empresas de fast food e companhias de apostas, uma postura já havia demonstrado no passado, a KFC reagiu esta quarta-feira com desagrado.

O avançado defendeu uma alteração dos contratos dos direitos de imagem dos jogadores e, apesar de ter acabado por voltar atrás na decisão e participado na tal sessão fotográfica, conseguiu que a FFF anunciasse que iria rever esse quadro legal "o mais rapidamente possível".

Quem não gostou de como a situação se desenrolou foi Alain Béral, vice-presidente da KFC em França, que acusou Mbappé de "caprichos", garantiu que a empresa de fast food vai fazer "valer os seus direitos" e lançou uma ameaça à FFF.

"É um problema entre a Federação e Mbappé, que está com um capricho próprio da revolta da juventude. Não temos nada a ver com isso. O que eu sei é que nós pagámos por algo que foi negociado de forma muita clara e vamos fazer valer os nossos direitos. Se os jogadores se vão recusar, então temo que as empresas privadas deixem de financiar os campeonatos e Federações", avisou, em declarações ao site Sport Business Club.