Ibrahimovic assume que provocou Lukaku com referência à mãe: "Atingi um ponto fraco"

Ibrahimovic, avançado do Milan

 foto AFP

Sueco recordou, em entrevista concedida ao jornal italiano "Corriere dello Sport", o incidente com o belga num jogo entre os rivais de Milão

Protagonista de acesa discussão com Romelu Lukaku num Milan-Inter da anterior edição da Taça de Itália, Zlatan Ibrahimovic confessou, ao recordar o episódio que envolveu dois antigos colegas de equipa no Manchester United, que respondeu às provocações do belga com uma referência aos eventuais atos de voodoo da mãe.

"Ele atacou-me a um nível pessoal. Fiquei chocado porque fomos colegas. Tem um grande ego, mas, quando alguém me enfrenta assim, coloco-o no lugar. Atingi-lhe um ponto fraco: os rituais da mãe. Ele perdeu o controlo", afirmou o sueco.

Em entrevista ao italiano "Corriere dello Sport", Ibrahimovic alegou, quiçá no seu tom habitualmente irónico, ter sido, depois, vítima das alegadas práticas espirituais da progenitora de Lukaku, ao enumerar uma série de "azares" posteriores.

"No entanto, ainda tenho uma dúvida. Perdemos o dérbi, fui expulso, depois lesionei-me.. muitas coisas más aconteceram. Já viram o que os rituais do Lukaku me fizeram? Pedi aos meus amigos crentes que rezassem por mim...", referiu o avançado.

Ibrahimovic, que foi acusado de comportamento antidesportivo pelas instâncias desportivas italianas, prometeu, por fim, um novo encontro, provavelmente pouco ou nada amistoso, com Lukaku... no interior do relvado.

"Tenho de ajustar contas com ele, espero que nos encontremos em breve. Na rua? Não, estas coisas resolvem-se no campo, mas não odeio ninguém, muito menos o Lukaku", assegurou Ibrahimovic ao "Corriere dello Sport".

Após o dérbi entre o Milan e o Inter, em janeiro de 2020, o sueco foi acusado de racismo e intolerância religiosa por causa das afirmações proferidas ao belga, mas Zlatan assegurou, publicamente, que "não há espaço para racismo" na sua vida.