Histórico do Brasil pelas ruas da amargura: "Um buraco onde nenhum outro chegou"

Sérgio Santos Rodrigues, presidente do Cruzeiro

 foto Twitter/reprodução

Cruzeiro está na Série B do campeonato brasileiro e não deve conseguir promoção mais uma vez.

O Cruzeiro, quatro vezes campeão brasileiro, cinco títulos na Taça do Brasil e duas vezes campeão da Libertadores, está imerso na maior crise da sua história. A tradicional equipa brasileira está na segunda época consecutiva a disputar a série B do campeonato brasileiro. Numa grave situação financeira, não deverá conseguir a promoção na atual campanha.

A seis jornadas do fim, a equipa é a 12.ª classificada no segundo escalão. Sob o comando de Vanderlei Luxemburgo, antigo selecionador do Brasil e treinador do Real Madrid, tem chances remotas de sucesso. Ciente da situação delicada, o presidente Sérgio Santos Rodrigues prevê (no mínimo) 10 milhões euros de perdas por não regressar à Série A. E não é o pior.

Desde 2019, a crise financeira acarretou perda da capacidade de investimento do Cruzeiro, com saída de jogadores, greves por salários atrasados (o que acontece atualmente mais uma vez), diminuição no quadro de funcionários. A dívida do clube é de aproximadamente 150 milhões de euros.

"Sem dúvida nenhuma o problema do Cruzeiro é dinheiro. E isso reflete em todas as áreas depois. O Cruzeiro chegou a um buraco onde nenhum clube chegou", disse o presidente do clube, Sérgio Santos Rodrigues, em entrevista à TV Globo. "Desempenho desportivo? É gestão minha, mas se tivesse dinheiro para poder fazer, com certeza, seria feito de forma diferente", acrescentou.

O clube estuda formas de tentar pagar dívidas e voltar ao protagonismo no futebol brasileiro. Por enquanto, entretanto, o cenário é negativo para a equipa de Minas Gerais, que além de tudo vê o Atlético, o rival, viver boa fase com jogadores como Hulk e Diego Costa no plantel.