Giggs é acusado de pontapear e deixar ex-namorada nua à porta do quarto de hotel

Giggs é acusado de pontapear e deixar ex-namorada nua à porta do quarto de hotel

 foto AFP

.

 foto AFP

.

 foto AFP

Pouco depois de ter sido acusado de todas estas ofensas, Ryan Giggs emitiu uma declaração na qual nega tudo

O antigo futebolista do Manchester United e ex-selecionador do País de Gales, Ryan Giggs, foi esta sexta-feira acusado de ter, alegadamente, pontapeado a ex-namorada nas costas e expulsado sem roupa de um quarto de hotel, em Londres.

A revelação foi feita em tribunal, onde Giggs, de 47 anos, é acusado de controlo e comportamento coercivo contra Kate Greville, 36 anos, entre agosto de 2017 e novembro de 2020. Giggs apareceu no tribunal de Manchester alegando inocência.

Giggs negou também uma segunda acusação de agressão à mesma mulher - causadora de lesões corporais - na casa que partilhavam em Worsley, arredores de Manchester, a 1 de novembro do ano passado. Além disso, declarou-se inocente da agressão à irmã da ex-namorada, Emma Greville, no mesmo alegado incidente.

Detalhes do comportamento, coercivo, controlador e agressivo fazem parte da acusação. Giggs é acusado de "enviar-lhe mensagens e/ou bloqueá-la quando ela saía à noite com outras pessoas ou quando ela perguntou-lhe sobre a relação com outra pessoa", "ameaçando enviar e-mails aos seus amigos e colegas de trabalho sobre a sua relação sexual e comportamento" e "atirando os seus pertences para fora da sua casa quando ela o interrogou sobre relações com outras mulheres".

Outras acusações referem que "no Hotel Stafford, em Londres, pontapeou-a nas costas e depois expulsou-a para fora do quarto do hotel nua, acusando-a de atirar-lhe a mala quando ela o acusou de namorar com outras mulheres" e de "enviar mensagens constantes a ela e às suas amigas quando ela tentou acabar a relação".

Giggs é também acusado de aparecer regularmente, sem aviso prévio e sem ser convidado, na casa, local de trabalho e no ginásio depois de Kate Greville ter tentado romper a relação.

Pouco depois de ter sido acusado de todas estas ofensas, Giggs emitiu uma declaração na qual nega tudo, acrescentando que "espera ansiosamente por limpar" o seu nome.

Giggs irá a julgamento a 24 de janeiro de 2022. Uma nova audiência prévia ao julgamento terá lugar no mesmo tribunal a 8 de outubro.

A juíza prolongou a caução de Giggs na condição de não contactar Kate ou Emma Greville.