"É mais preto do que o equipamento", a frase que despediu a jornalista da TVE

Camavinga, internacional francês que joga no Real Madrid

 foto AFP

A polémica em Espanha envolve uma jornalista da TVE

É certo que falou julgando que o microfone estava desligado, mas o infeliz momento de Lorena González acabou mesmo por lhe custar o emprego na TVE, estação pública de Espanha.

Tudo aconteceu quando a jornalista afirmou sobre Eduardo Camavinga, o internacional francês nascido em Angola que agora representa o Real Madrid: "Caramba, é mais preto do que o equipamento", disse.

Apesar do pedido de desculpas público - e a Eduardo Camavinga -, a jornalista espanhola acabou mesmo por ser dispensada pela TVE. "Falei pessoalmente e longamente com Camavinga e em nenhum momento ele ficou ofendido. Algumas pessoas querem ser mais papistas do que o Papa. Tenho família, vivo com ansiedade e tenho uma casa para pagar... Tudo isto é excessivo", acrescentou.

"Para mim não se trata de um comentário depreciativo ou pejorativo. Não estou a depreciar o jogador, não estou a comparar a sua cor de pele com nada de pejorativo ou feio. Nunca faria um comentário feio nesse sentido, seja de microfone fechado ou aberto", afirmou ainda Lorena González.

"Eu tenho enfrentado o machismo quase diariamente nesta profissão, ninguém me deu nada de graça. Tento exercer esta profissão com o maior respeito por tudo. Sim, é um deslize, mas não o suficiente para tentar acabar com a carreira ou a saúde de qualquer um", conclui, não deixando de criticar a TVE.