Dois anos no Dortmund com poucas recordações boas: "Só queria sair dali"

Reinier joga agora no Girona, cedido pelo Real Madrid

 foto EPA

Reinier lembra passagem falhada pela Alemanha. Hipótese Benfica caiu por terra e acabou emprestado ao Girona pelo Real Madrid.

Não são boas as recordações que Reinier guarda da passagem pelo Dortmund, onde esteve cedido pelo Real Madrid durante duas temporadas. O médio brasileiro de 20 anos, que brilhou no Flamengo de Jesus antes de assinar pelo atual campeão europeu, confessa que passou por momentos difíceis na Alemanha.

"Pela experiência de vida, sou outra pessoa. Dois anos na Alemanha... Sou outra pessoa, outra cabeça. Foi uma experiência com grandes jogadores, que hoje são meus amigos. Eles ajudaram-me bastante desde que cheguei lá. Não falava inglês, não falava alemão, o que é bastante difícil. Eles ajudaram-me, Haaland, Emre Can, Jude [Bellingham], e isso foi uma experiência muito boa. A má é que eu não pude desenvolver meu futebol. Treinava bem, as pessoas, não vou citar nomes, diziam no treino: "você está a treinar muito bem, parabéns, continue assim", e não me colocavam a jogar. Eu não entendia. Treinava bem e não jogava? É uma escolha deles, respeitei toda gente, a instituição, os jogadores, mas é uma pena. A cidade é muito fria, mas uma cidade boa. Adeptos incríveis", afirmou em entrevista ao podcast Gringolândia.

"Nesses dois anos, na minha profissão, eu não tive coisas boas. Passei por muita coisa difícil com 18, 19 anos. A minha família via-me triste. Eu saía dos jogos muito abalado, não conseguia dormir", prosseguiu.

"Eu só queria sair dali. Passado um ano eu percebi que não ia mudar e não era por mim, porque eu estava a fazer tudo. Treinava em casa, tinha fisioterapeuta, nutricionista. Já não tinha mais o que fazer. Só queria sair e ser feliz de novo", lamentou.

Atualmente no Girona, Reinier, que esteve nos planos do Benfica, esteve em 39 jogos do Dortmund, mas apenas três como titular. Fez um golo e uma assistência.