Ceferin insiste em "consequências" e atira: "Enviaram-me um calendário engraçado..."

Aleksander Ceferin, presidente da UEFA

 foto EPA

Presidente da UEFA refere que o organismo ainda vai discutir possíveis sanções relacionadas com a Superliga Europeia.

O projeto da Superliga Europeia, anunciado na noite de domingo, parece estar condenado ao fracasso, mas nem por isso Aleksander Ceferin, presidente da UEFA, deixa de falar em consequências para os clubes envolvidos.

"Vamos ver o que acontece na próxima semana. Muita coisa aconteceu nas 24 horas que se seguiram ao congresso [da UEFA], mas espero ter mais notícias na sexta-feira. Penso que aqueles que dizem estar completamente tranquilos nesta situação não estão a dizer a verdade. A situação é muito complicada para eles e não para a UEFA, que tem 235 de 247 clubes do seu lado. Aliás, 244. Estão todos connosco. Agora, espero que todos reconheçam os seus erros e sofram as consequências. Falaremos sobre isto na próxima semana", afirmou Ceferin em entrevista ao canal esloveno 24ur, elogiando a postura dos clubes ingleses, os primeiros a abandonarem o grupo de fundação da Superliga:

"Se estes clubes quiserem fazer parte das nossas competições novamente, terá de existir uma reaproximação para avaliarmos o que aconteceu. Ainda estamos a falar com as nossas equipas judiciais. Diria que os clubes ingleses tomaram uma excelente decisão e vamos ter isso em conta. Admitiram o erro e perceberam que estavam todos errados. Todos cometemos erros. De certo modo, o clube que menos me desapontou foi o Barcelona. Laporta foi eleito presidente há pouco tempo e falei com ele duas ou três vezes. Está sob grande pressão devido à situação financeira do clube", prosseguiu o líder do organismo que rege o futebol europeu, antes de lançar alfinetadas a Florentino Pérez, presidente do Real Madrid e falar num "calendário engraçado".

"O presidente do Real queria um presidente da UEFA que lhe obedecesse, que o ouvisse e fizesse as coisas que ele quer. Mas eu faço o que considero melhor para o futebol europeu e mundial. (...) Hoje [quarta-feira] recebi um calendário engraçado de um clube com um calendário competitivo em que só o Real Madrid e a Juventus jogavam todos os dias", rematou Ceferin, que não acredita num afastamento dos "merengues" das meias-finais da Liga dos Campeões ainda na presente temporada. "A época já começou e as televisões podem reclamar contra a UEFA se não se jogarem as meias-finais. Portanto, há uma probabilidade ínfima desse jogo [frente ao Chelsea] não se realizar na próxima semana. No futuro poderá ser diferente", assegurou.