Adepto radical do Nápoles acusado da morte de apoiante do Inter

Adepto radical do Nápoles acusado da morte de apoiante do Inter

O adepto do Nápoles tem antecedentes criminais e, segundo a investigação, poderá estar ligado à camorra, uma organização criminosa italiana.

Um adepto radical do Nápoles foi esta sexta-feira detido sob a acusação de homicídio de um adepto do Inter, após um jogo da liga italiana, disputado em 26 de dezembro de 2018.

De acordo com a comunicação social italiana, Fábio Manduca, de 39 anos, é acusado de atropelar mortalmente Daniele Belardinelli, de 35 anos, nas imediações do estádio do Inter.

O adepto do Nápoles, equipa na qual alinha o português Mário Rui, tem antecedentes criminais, e, segundo a investigação, poderá estar ligado à camorra, uma organização criminosa italiana.

Em março, cinco adeptos radicais do Nápoles, entre os quais Marco Piovella, apontado como um dos líderes da claque mais violenta do clube, foram condenados a quatro anos de prisão pelo envolvimento nos confrontos após o encontro, que a formação da casa venceu por 1-0.

Os incidentes, que causaram um morto e quatro feridos, ocorreram antes do encontro, mas o clima de tensão prosseguiu dentro do estádio, com os adeptos do Inter a insultarem os jogadores do Nápoles de raça negra, sobretudo o defesa Kalidou Koulibaly.