Adepto inglês esteve preso durante dois meses por abusos raciais online

Adepto inglês esteve preso durante dois meses por abusos raciais online
Redação/H.L.

Além da pena de oito semanas, Silwoord foi proibido, ad eternum, de assistir a jogos, tanto caseiros como realizados fora de portas, do West Bromwich

Numa sentença sem precedentes, um adepto do West Bromwich esteve preso, durante oito semanas, ao receber uma pena por ter discriminado racialmente um jogador do clube da Premier League através da rede social Facebook.

Numa publicação feita em janeiro passado, em reação à derrota do West Brom com o Manchester City, Simon Silwood escreveu, em tom depreciativo, que Romaine Sawyers "deveria ganhar o "Babuíno d'Ouro", aludindo a um tipo de primata para descrever o troféu [Bola d'Ouro] atribuído, anualmente, ao melhor jogador masculino de futebol.

Silwoord foi, entretanto, acusado e declarado culpado por um tribunal do Reino Unido por ter publicado uma "mensagem grosseiramente ofensiva", que "demonstrou hostilidade baseada na raça", cuja motivação se deveu, explicou o próprio, por ter ficado "perturbado" com a derrota do West Brom ante os citizens.

O adepto do West Bromwich assumiu, perante o juiz, ter cometido um erro, mas alegou que o texto foi automaticamente alterado/corrigido pelo "corretor" do aparelho telefónico, pelo que queria ter escrito o termo "palhaço".

Além da pena de oito semanas, Silwoord foi proibido judicialmente, ad eternum, de assistir a jogos, tanto caseiros como realizados fora de portas, do West Bromwich.

Silwoord tornou-se, assim, na primeira pessoa a ser condenada pela justiça britânica, como descreve a Imprensa do Reino Unido, por cometer abusos raciais online.

Esta tem sido uma prática muito proliferada nos últimos meses para com jogadores, de cor não branca, a atuar na Premier League e que originou, inclusive, uma reação do governo liderado por Boris Johnson, que exigir uma maior ação das empresas donas de redes sociais no controlo de publicações discriminatórias.