"A forma como sofremos vai doer durante muito tempo"

"A forma como sofremos vai doer durante muito tempo"

Em Doha, um golo de Joel Campbell, ex-jogador do Sporting, logo aos três minutos, selou a vitória da Costa Rica sobre a Nova Zelândia e o apuramento dos ticos para o Mundial'2022

Em Doha, um golo de Joel Campbell, ex-jogador do Sporting, logo aos três minutos, selou a vitória da Costa Rica sobre a Nova Zelândia e o apuramento dos ticos para o Mundial'2022, que assim repete as presenças de 1990, 2002, 2006, 2014 e 2018.

Do lado neozelandês, a desilusão marcou o discurso na flash interview de Danny Hay, selecionador que viu em campo uma "performance fenomenal", que pagou por "sofrer um golo tão cedo" e com a expulsão de Barbarouses, aos 69.

"Dominámos o jogo, precisávamos de um bocadinho mais de qualidade e não conseguimos encontrar. [...] Fomos sensacionais, mesmo com 10 jogadores dominámos uma equipa que vai jogar no Mundial. A forma como sofremos vai doer durante muito tempo", explicou.

Se Hay não quis comentar a arbitragem da partida, que além da expulsão anulou um golo a Chris Wood, porque "as pessoas podem ver por si mesmas", o avançado não se coibiu de comentar o assunto.

"No final de contas, são margens mínimas. Algumas coisas correram-lhes bem e tivemos decisões contra nós", declarou.

Wood elogiou o "esforço incrível dos rapazes, que deixaram tudo em campo", e deixou a nota de esperança de que "daqui a quatro anos" possam lograr o apuramento.

Em Doha, um golo de Joel Campbell, ex-jogador do Sporting, logo aos três minutos, selou o apuramento dos ticos, que repetem as presenças de 1990, 2002, 2006, 2014 e 2018.

Na fase final, a Costa Rica vai ficar no Grupo E, juntamente com as campeãs mundiais Alemanha (1954, 1974, 1990 e 2014) e Espanha (2010) e o Japão.

O Mundial de 2022, que conta com Portugal entre os qualificados, realiza-se no Catar, de 21 de novembro a 18 de dezembro.