Wenger faz marcha atrás nos mundiais de dois em dois anos

Wenger faz marcha atrás nos mundiais de dois em dois anos
Redação

Ideia defendida pelo diretor de desenvolvimento da FIFA, há um ano, não deverá ter seguimento. Wenger fala ainda de um Mundial em África, também no Inverno

Gerou muita polémica a ideia de Arsène Wenger, antigo treinador que agora é diretor de desenvolvimento da FIFA, de que o Mundial se deveria disputar no futuro de dois em dois anos, e o próprio gaulês já está a deixar cair essa intenção.

"Pediram-me para pensar sobre isso e achei que não era uma má ideia. Mas tal desenvolvimento exige uma revisão completa do calendário de qualificação. Hoje não caminhamos para isso, mas para ciclos de quatro anos alternados, com Mundial masculino e feminino, que é cada vez mais importante, Euro e Mundial de clubes, que será inevitável", atirou, em declarações publicadas no L'Équipe.

Por outro lado, o técnico mostrou-se satisfeito com o Mundial do Catar, no Inverno, e espera que possa vir a realizar-se outro, no futuro, na mesma estação do ano e em África: "Se quisermos democratizar o futebol, teremos que ir para países africanos onde é impossível jogar um Mundial no Verão. Podemos ver com esta edição no Catar que um Mundial no Inverno funciona. Então, claro, muitas seleções não tiveram tempo de se preparar bem fisicamente. Mas pelo menos todos eles abordaram esta competição com verdadeiro frescor mental, o que nem sempre foi o caso no passado. Lembro-me de seleções que começaram um Mundial psicologicamente cansados, porque o período de preparação tinha corrido mal".