"Serei a única uruguaia num local cheio de portugueses"

"Serei a única uruguaia num local cheio de portugueses"

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Redação com Lusa

Jogadora uruguaia do Rio Ave alerta para a "garra" da seleção sul-americana, que esta segunda-feira defronta Portugal no Mundial'2022

Alexia Silva, jogadora uruguaia que atua na equipa feminina do Rio Ave, antevê que seleção do seu país se vai apresentar "com muita garra" no duelo desta segunda-feira, frente a Portugal, no Mundial do Catar.

A defesa, de 21 anos, que veio o ano passado jogar para Portugal, tendo representado o Atlético antes desta época se juntar à equipa vila-condense, considerou que o empate na estreia do Uruguai neste Mundial, frente à Coreia do Sul, "foi uma desilusão" e que a equipa tentará "corrigir essa má entrada".

"Todos os uruguaios esperavam uma vitória nesse jogo, mas, no meu entender, a tática do selecionador não funcionou. Muita gente achou que ele deveria ter escolhido outros jogadores. Foi uma desilusão", disse Alexia Silva.

Após essa entrada em falso da equipa sul-americana, a jogadora do Rio Ave espera um "Uruguai com a garra que o caracteriza para quebrar a confiança de Portugal, depois da vitória no primeiro jogo".

"Será o jogo mais difícil, e também mais decisivo, para as duas equipas neste grupo. As duas equipas têm jogadores muito bons, que alinham nos melhores campeonatos da Europa, e sinto que será uma partida muito disputada", analisou a atleta.

Alexia Silva considera que as ambas seleções "são muito boas" no meio-campo e no ataque, mas, quanto ao setor defensivo, aponta que Portugal "tem mais qualidade".

"Não concordo muito com as escolhas do selecionador para a defesa, acho que é o nosso setor mais vulnerável, porque, no ataque e, sobretudo, no meio-campo, o Uruguai é muito forte", disse a atleta do Rio Ave.

Apesar de considerar esta partida entre Portugal e Uruguai como cabeça de cartaz do grupo, Alexia alertou, também, para a qualidade dos outros dois oponentes da 'poule'.

"A Coreia do Sul tem aquele futebol típico asiático, em que os jogadores conseguem correr 150 minutos se for preciso. O Gana tem um futebol muito físico, que é difícil contrariar para as equipas com mais técnica", analisou.

Apesar de só estar em Portugal há um par de anos, Alexia Silva constata que no Uruguai se vive o futebol "com mais intensidade", mas confessou que estará numa "posição difícil" neste embate entre as duas seleções.

"Como vamos treinar depois do jogo, vou ver a partida na academia do Rio Ave e, certamente, serei a única uruguaia num local cheio de portugueses. Se o meu país perder, nem sei o que me vai acontecer com tantas brincadeiras que me vão fazer", partilhou, sorridente, Alexia.

Ainda assim, a jogadora do Rio Ave confia que "o Uruguai vai vencer Portugal por 1-0", deixando todas as decisões "para a última jornada do grupo".

Portugal defronta o Uruguai a partir das 19h00 de segunda-feira, no Estádio de Lusail, em jogo do grupo H do Mundial'2022.