Slávia de Praga nega racismo e revela: "Kudela foi agredido com socos na cabeça"

Slávia de Praga nega racismo e revela: "Kudela foi agredido com socos na cabeça"

Clube checo fala em agressões no túnel de acesso aos balneários após a vitória sobre o Rangers.

O jogo de quinta-feira entre Rangers e Slávia de Praga, referente à segunda mão dos oitavos de final da Liga Europa, ficou marcado não só pelo triunfo e consequente passagem da equipa checa como por episódios polémicos no relvado, que foram desde o arrepiante lance entre Ondrej Kolar e Kemar Roofe a uma pequena altercação entre jogadores das duas equipas.

Após a partida, Steven Gerrard, treinador dos campeões escoceses, levantou suspeitas sobre um eventual caso de racismo entre Ondrej Kudela, defesa do Slávia, e Glen Kamara, médio do Rangers. Após o apito final, o clube visitante negou as acusações.

"Depois de uma falta brutal, Kudela disse a um dos jogadores do Rangers: 'Gajo de merda'. 'Foi dito no calor da emoção, mas nego qualquer índole racista nestas palavras', afirmou Kudela. Os jogadores do Slávia enfrentaram um jogo malicioso sem precedentes da parte dos adversários. Nunca experienciaram algo assim em jogos de competições europeias. Entradas brutais resultadaram em lesões. O guarda-redes Ondrej Kolar foi levado para o hospital e suturado com 10 pontos", assinala o emblema de Praga em comunicado, revelando ainda que Kudela terá sido agredido no túnel de acesso aos balneários:

"No final do jogo, a nossa equipa viu ser negado o acesso ao balneário. Ondrej Kudela foi agredido por Kamara com socos na cabeça. O treinador do Rangers, Steven Gerrard, assistiu ao incidente. Até os representantes da UEFA que estavam presentes no local ficaram chocados com este comportamento", remata o Slávia. Um caso que promete dar que falar nas próximas semanas.