Quando um presidente também invade o relvado: "A vitória mais histórica"

Quando um presidente também invade o relvado: "A vitória mais histórica"
Carlos Alberto Fernandes/Pedro Ribeiro

Tópicos

Pedro Martins viu o Olympiacos, com José Sá e Podence, conseguir o resultado que precisava para seguir em frente na Liga Europa: triunfo por 3-1.

Na antevisão, Pedro Martins não escondeu que tinha plena confiança na capacidade do Olympiacos em derrubar o AC Milan por um resultado que lhe permitisse a qualificação. Com José Sá na baliza e Podence no ataque, ontem isso concretizou-se e o clube de Atenas triunfou por 3-1, garantiu a continuação na prova e, ao mesmo tempo, impôs aos rossoneri uma página negra da sua história: desde a temporada 2000/01 que não eram eliminados de uma competição da UEFA na fase de grupos (então ficou na segunda fase de grupos da Champions).

No fim, os festejos foram efusivos e, apesar de o guarda-redes português estar a receber assistência por ter caído mal no último lance, os adeptos invadiram o relvado para festejar com os jogadores e equipa técnica. E até o presidente não conteve a euforia, seguindo o exemplo dos fãs. "Levantámos a bandeira do Olympiacos e da Grécia. Foi uma vitória enorme e escrevemos história. Talvez tenha sido a vitória mais histórica da equipa", salientou Evangelos Marinakis.

A noite fantástica do Olympiacos começou a ser escrita com um cruzamento de Podence, que originou o golo de Cissé (60"). Dez minutos depois, Guilherme rematou de longe, a bola bateu em Zapata e surgiu o 2-0, que já servia para a festa grega. Mas logo a seguir, Zapata (72") bateu José Sá após um canto, tendo o Milan caído aos 83" quando Fortounis converteu um penálti.

"Foi a partida dos nossos sonhos, o resultado é ótimo. Jogámos muito bem, contra uma grande equipa", realçou Pedro Martins, confiante que o Olympiacos "pode fazer ainda melhor". "Favoritos? Veremos o sorteio, mas tudo pode acontecer no futebol", reforçou o técnico português.