"Na segunda parte, o Ajax jogou como se estivesse a defrontar o Vitesse"

"Na segunda parte, o Ajax jogou como se estivesse a defrontar o Vitesse"

Treinador português comentou o jogo para a cadeia televisiva Bein Sports e adiantou que os holandeses não souberam esconder as suas fraquezas no período em que o Tottenham partiu para o tudo por tudo

José Mourinho comentou esta quarta-feira o Ajax-Tottenham para a cadeia televisiva Bein Sports e analisou a hecatombe do Ajax na segunda parte. "Se o Ajax escondesse melhor as suas fraquezas, e todos nós as conhecemos... Têm de lidar com isso e vimos muitos exemplos. O básico a fazer quando se tem uma vantagem é manter o equilíbrio a tempo inteiro! Nunca desequilibrar. Isso começa com a linha defensiva em posição e, depois disso, com vários jogadores atrás da linha da bola. Eles mantiveram a filosofia, jogaram a segunda parte como se estivessem a jogar com o Vitesse na Liga da Holanda. Neste momento, não acreditam no que lhes aconteceu", afirmou o treinador português, acrescentando, porém, que o Tottenham teve a sorte do jogo. "Eles mudaram e usaram muito bem o jogo direto. Tiveram sorte, tiveram os deus do futebol com eles, mas perseguiram essa sorte."

Sublinhando que a ideia do Ajax "merece todo o crédito", José Mourinho garantiu que, por vezes, é preciso contrariar a própria filosofia para uma equipa alcançar o sucesso. "Para mim, a filosofia é o que faz uma equipa crescer. É preciso essa base, uma filosofia e um estilo de jogo adaptado às qualidades dos jogadores. O Ajax merece todo o crédito por isso e toda a admiração de pessoas como nós, que adoram futebol. Mas o futebol é uma batalha desportiva. E nas batalhas é preciso estratégia. Para vencer jogos e, especialmente, para vencer-se jogos especiais, que existem, é preciso, por vezes, não nos agarrarmos à filosofia e, por vezes, ir mesmo contra essa filosofia para se vencer", salientou.