Erros deixam FC Porto com vida mais difícil, Mbappé guia PSG na neve de Munique

Erros deixam FC Porto com vida mais difícil, Mbappé guia PSG na neve de Munique

Chelsea e PSG venceram FC Porto e Bayern na primeira mão dos quartos de final da Liga dos Campeões.

Dois erros individuais deixaram esta quarta-feira o FC Porto com vida difícil na Liga dos Campeões, face à derrota frente ao Chelsea (2-0), enquanto Mbappé bisou pelo PSG (3-2) na vitória ante o Bayern Munique.

No estádio Ramón Sánchez Pijzuán, em Sevilha, o palco emprestado dos dois encontros dos quartos de final, para fazer face às restrições britânicas nas viagens, por culpa da pandemia de covid-19, os dragões Zaidu e Corona ficaram ligados aos dois golos, o primeiro apontado por Mason Mount, aos 32 minutos, e o segundo por Ben Chilwell (85').

Mesmo privados das duas baixas de "peso" Sérgio Oliveira e Taremi, devido a castigo, os azuis e brancos, presentes pela 11.º vez no top 8 da Champions, tiveram as suas oportunidades e até mais remates à baliza do que os campeões da Europa em 2011/12.

Contudo, a equipa treinada por Thomas Tuchel deu uma lição de eficácia, ainda que tenha sido por demérito, primeiro, após uma má abordagem de Zaidu, que deixou Mount à mercê do golo e, depois, uma receção defeituosa de Corona permitiu a Chilwell progredir para dilatar a vantagem, já perto do apito final.

O internacional inglês Mason Mount, aos 22 anos e 87 dias, tornou-se no mais jovem jogador dos blues a marcar numa eliminatória da prova e, juntamente com o lateral esquerdo, recuperaram a marca de 2012, quando dois jogadores ingleses (John Terry e Frank Lampard) anotaram os golos blues na mesma partida da Liga dos Campeões.

A jogar na neve do Allianz Arena, em Munique, o finalista vencido da edição passada, com o internacional luso Danilo de início, entrou no encontro diante do campeão em título, praticamente, a vencer, indicando que queria vingar a final de Lisboa.

Sem a grande referência da equipa, o lesionado polaco Robert Lewandowski, e baixa de última hora Serge Gnabry, por estar infetado com o novo coronavírus, a equipa de Hans-Dieter Flick foi surpreendida aos três minutos, quando Kylian Mbappé abriu o ativo, assistido por Neymar, num lance que o guarda-redes Neuer poderia ter feito melhor.

Desde março de 2010 que o emblema bávaro não sofria um golo tão cedo numa fase a eliminar para a Champions, na altura foi o ex-avançado Wayne Rooney, aos 63 segundos.

Neymar, numa jogada 100% brasileira, voltou a fazer o último passe para os franceses dilatarem a vantagem fora de portas, agora para Marquinhos (28'), que viria a sair lesionado do jogo, dois minutos depois.

A primeira parte não terminou sem que os campeões em título encurtassem distâncias, pela cabeça do camaronês Maxim Choupo-Moting (43'), antigo jogador dos franceses, e hoje substituto de Lewandowski, abrindo caminho para, após o descanso, Thomas Muller (60) restabelecer a igualdade, também numa finalização de cabeça.

A capacidade e qualidade ofensiva que faltava no Bayern, o PSG tinha em demasia, sendo, novamente, o internacional francês a desfazer a defesa bávara, perante tanta passividade, aos 68 minutos.

Na terça-feira, Manchester City e Real Madrid colocaram-se em boa posição para seguirem para as "meias", depois de venceram em casa o Borussia Dortmund (2-1) e Liverpool (3-1), respetivamente.

Os jogos da segunda mão estão agendados para os dias 13 e 14 de abril.