"Defrontámos um adversário que tem um extraterrestre", disse treinador do Lyon

"Defrontámos um adversário que tem um extraterrestre", disse treinador do Lyon

Rudi Garcia diz que Lyon enfrentou "um extraterrestre" chamado Ronaldo

O treinador do Lyon, Rudi Garcia, observou hoje que defrontou um adversário que tem "um extraterrestre" na equipa, referindo-se ao português Cristiano Ronaldo, após o jogo com a Juventus, dos oitavos de final da Liga dos Campeões de futebol.

"Defrontámos um adversário que tem um extraterrestre [Cristiano Ronaldo] na sua equipa. O segundo golo que marcou foi magnífico, um golo de Liga dos Campeões. Penso que estivemos muito bem na primeira parte, mas, infelizmente, o penálti que os fez acordar foi totalmente injustificado e trouxe-os de volta ao jogo", disse dizer Rudi Garcia.

O técnico francês reconheceu que a sua equipa teve de sofrer na segunda parte: "Foi mais difícil para nós e tivemos de sofrer, até Moussa Dembelé e Jeff Reine-Adelaide entrarem e darem-nos um novo fôlego. Agora vamos estar na "final four' em Lisboa e estou muito orgulhoso pelos nossos adeptos e por Lyon. Não queremos ficar por aqui, em Lisboa seremos "outsiders', mas isso até nos convém".

O Lyon apurou-se para os quartos de final da Liga dos Campeões, apesar da derrota por 2-1 em Turim - com Cristiano Ronaldo a marcar os dois golos da Juventus -, beneficiando do tento marcado fora, pois tinha vencido em França por 1-0, na primeira mão.

O treinador da Juventus, Maurizio Sarri, considerou que a sua equipa "fez um grande jogo", e, depois de ter sofrido o primeiro golo, "partiu para cima do adversário e teve várias oportunidades para marcar" o terceiro golo, mas não escondeu os erros próprios.

"Se tivermos que nos responsabilizar por algo foi pelo que fizemos em Lyon, no jogo da primeira mão. Infelizmente, na Liga dos Campeões não se fazem prisioneiros. Estou destroçado com esta eliminação", admitiu Sarri, lamentando o facto de não ter podido contar com Dybala e Douglas Costa a 100%.

O médio bósnio Miralem Pjanic foi ainda mais contundente, advertindo que a Juventus tem que ter "ambições mais elevadas", reconhecendo que sofreu "um grande desgosto" com o afastamento precoce na principal prova europeia de clubes, "um desfecho muito difícil de aceitar".

Os dois golos marcados por Cristiano Ronaldo foram insuficientes para permitir à Juventus apurar-se para a fase final da "Champions", que se vai disputar em Lisboa num formato inédito, mas o presidente do clube, Andrea Agnelli, manifestou-se "convencido que [o avançado português] vai continuar a ser um pilar" da equipa de Turim.

O Lyon vai defrontar o Manchester City, que hoje eliminou o Real Madrid, em 15 de agosto, no estádio de José Alvalade, em Lisboa, que vai ser um dos palcos dos jogos da fase final da prova, juntamente com o Estádio da Luz.