Casillas denota menos competitividade na Champions: "Tem de ser diferente todos os anos"

Casillas denota menos competitividade na Champions: "Tem de ser diferente todos os anos"
Redação

Ex-futebolista do Real Madrid e FC Porto observou, também, o porquê da ausência de clubes espanhóis do jogo da decisão da liga milionária, a partir de 2018

Dono de larga experiência na Liga dos Campeões, sendo o segundo jogador com mais jogos (177) na prova, Casillas considera que a mesma perdeu competitividade nas últimas épocas, dado que a disputa, diz, cinge-se a crónicos candidatos.

"A Champions tem de ser diferente todos os anos, têm de existir equipas diferentes a lutar pela competição. Nos últimos anos, ficou um sabor a descafeinado [falta de intensidade]. Gosto que, a cada ano, haja alguém diferente a competir, acho que é isso que dá emoção", afirmou o antigo guardião de Real Madrid e FC Porto.

Questionado sobre o rendimento inferior das equipas espanholas na Liga dos Campeões a partir de 2018 - após cinco anos em que a "Orelhuda" viajou apenas para o país-vizinho, desde então mais nenhuma equipa de Espanha atingiu a final -, justificou-o com o aumento da qualidade noutras competições domésticas.

"As restantes ligas subiram de nível, é normal. O que aconteceu naqueles anos, em que Espanha dominou tanto [n.d.r.: entre 2013 e 2018, Real Madrid conquistou quatro Champions e o Barcelona uma], não foi normal. O habitual é mudar todos os anos", referiu o ex-guarda-redes espanhol, à margem do "Marca Sports Weekend".

Depois do reinado espanhol na Liga dos Campeões, com vantagem clara para o Real Madrid, apenas clubes de Inglaterra, Alemanha e de França, havendo maior presença britânica, atingiram o jogo maior de competições de clubes da Europa.