Mourinho procura mais um título europeu e pode igualar Trapattoni e Udo Lattek

Mourinho procura mais um título europeu e pode igualar Trapattoni e Udo Lattek

Caso vença o Feyenoord, o português será o responsável por estrear a Roma no quadro de vencedores de torneios da UEFA e juntará o triunfo na prova estreante aos bis na Champions e na Liga Europa.

Desde 2003, quando comandou o FC Porto à conquista da então Taça UEFA frente ao Celtic, que o nome de José Mourinho tem sido sinónimo de sucesso nas provas europeias. Na temporada seguinte, a vitória na Champions, também ao serviço dos dragões, alimentou a transformação em Special One - agora traduzido para Lo Speciale - e a lenda ficou definitivamente escrita com nova "orelhuda" pelo Inter (2010) e uma Liga Europa pelo Manchester United (2017).

Após uma caminhada de altos e baixos, com direito à pior derrota da sua carreira frente ao Bodo/Glimt (2-6) na fase de grupos, Mourinho conseguiu comandar a Roma à final da nova Conference League frente ao Feyenoord. Esta quarta-feira, na Albânia, está de regresso ao seu habitat natural e com o estatuto de grande figura da decisão.

Primeiro treinador de sempre a conduzir quatro equipas diferentes a finais de provas europeias, Lo Speciale nunca falhou quando disputou decisões e, caso mantenha esse registo, junta-se a Giovanni Trapattoni e Udo Lattek no restrito lote de treinadores que conquistaram três provas diferentes da UEFA, excluindo a Supertaça Europeia. O antigo treinador do Benfica venceu a Taça dos Campeões Europeus, a Taça UEFA e a Taça das Taças pela Juventus, enquanto o alemão completou a mesma tripleta ao serviço do Bayern, do Moenchengladbach e do Barcelona.

A vitória também sentenciaria o quinto troféu europeu de Mourinho e a subida na hierarquia dos maiores vencedores de sempre: voltando a limitar as contas às três tradicionais provas, o português deixaria para trás Alex Ferguson, Nereo Rocco e Bob Paisley (todos com quatro) para apanhar Giovanni Trapattoni, recordista destas contas com cinco.

Refira-se que o luso veste a capa de herói para os adeptos giallorossi por estar à beira de oferecer ao clube o primeiro troféu da UEFA da sua história, pois a única conquista internacional, a Taça das Cidades com Feira de 1960/1961, não é oficial aos "olhos" do organismo que rege o futebol europeu. A tentativa de hoje será a terceira da Roma de juntar-se a Juventus, Inter, Milan, Nápoles, Lázio, Parma, Sampdória e Fiorentina no lote de equipas italianas premiadas a nível europeu após as derrotas nas finais da Taça dos Campeões Europeus e da Taça UEFA frente a Liverpool (1984) e Inter (1991), respetivamente.