Mourinho: da final "mais importante" ao estatuto de "Ferguson de Roma": "Talvez fique..."

Mourinho: da final "mais importante" ao estatuto de "Ferguson de Roma": "Talvez fique..."
Redação

Treinador da Roma, em entrevista à Gazzetta dello Sport, atribui primazia total à decisão da Conference League ante o Feyenoord, em comparação com as quatro finais europeias disputadas, já que a Roma não vence um título desde 2008, e admite permanecer no comando giallorossi... por mais 11 anos.

Final da Conference League: "Começámos em agosto, com muitas viagens, jogos muito difíceis fora de casa e pagámos as consequências disso mesmo na Serie A. Jogar na Europa e, depois, jogar contra equipas que tiveram uma semana para se prepararem traduz-se em perdas de pontos. Apesar de a história e o prestígio desta competição [Conference League] serem diferentes, esta será a final mais importante da minha carreira. Já joguei outras mas esta será a mais importante e quero ganhá-la."

Ser o "Ferguson de Roma"/ter um projeto de longo prazo: "Sir [Alex] Ferguson esteve [a treinar no Manchester United] mais de 20 anos. Para isso, teria de ficar [em Roma] até aos 79, talvez fique até aos 70... Eu gosto muito de estar aqui, isso é visível. Aceitei um perfil de projeto que dura três anos, depois vemos qual será o perfil do próximo projeto. Eu nem estou a pensar sair antes desses três anos. No futebol, o importante é hoje e amanhã, no máximo, e quero ficar aqui. É a melhor maneira que tenho de responder."

Diferenças entre Roma e outros clubes em que teve sucesso: "Sinto mais dificuldade em manter as pessoas focadas no que precisa ser feito antes da final. Dei exemplos internamente. No Inter, antes da final da Liga dos Campeões, jogámos pelo scudetto [título italiano] e os jogadores só pensavam nisso. Aconteceu-me o mesmo no [FC] Porto. Aqui sinto uma euforia geral que não ajuda a direcionar o foco para o jogo de sexta-feira [relativo à Serie A]. Para mim, o próximo jogo é sempre o mais importante. Confesso que não é fácil, tentamos acertar as coisas internamente mesmo com o Tiago Pinto. Esta situação decorre da alegria de jogar uma final e ter 50% de chance de levantar um troféu. Para mim, no entanto, a mentalidade deve estar focada no jogo de sexta-feira."