Mourinho arrasa calendário e federação inglesa: "Não sou ninguém"

Mourinho arrasa calendário e federação inglesa: "Não sou ninguém"
Francisco Sebe

Tópicos

Treinador português teceu duras críticas à organização do calendário do futebol inglês.

O Tottenham entra em campo no domingo, para defrontar o Aston Villa em partida da 26.ª jornada da Premier League e, na quarta-feira, terá pela frente os alemães do Leipzig, na primeira mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões. Algo que motivou José Mourinho a tecer duras críticas à organização do calendário do futebol inglês, este sábado, em conferência de imprensa.

"Na sexta-feira à noite jogou-se o Leicester-Wolves, correto? Eles têm jogo de Liga dos Campeões na próxima semana? Não. Nem o Leicester, nem os Wolves. Os Wolves jogam quinta-feira para a Liga Europa. Nós somos a equipa que joga na Liga dos Campeões na quarta-feira e não jogamos na sexta-feira ou no sábado. Jogamos este domingo. Não acho normal", começou por atirar o "Special One", na antevisão ao jogo entre os Spurs e o Aston Villa (14h00).

"Digam-me: não havia outro jogo da Premier League para se jogar no domingo? É tão simples quanto isso. Não há cuidado, não querem saber. Escolheram o que queriam e não pensaram em como isso pode prejudicar uma equipa inglesa [na Champions]. Vamos sair a perder, porque jogamos às 14h00 de domingo quando podíamos ter jogado sexta ou sábado. (...) Será uma semana muito difícil para nós, porque temos o Villa no domingo, o Leipzig na quarta-feira e o Chelsea no outro sábado", prosseguiu Mourinho, que comentou também a possibilidade de a federação inglesa (FA) aplicar castigo a Dele Alli devido a um vídeo publicado nas redes sociais sobre o coronavírus, que levou a que o médio fosse acusado de racismo, pedindo posteriormente desculpa:

"Penso que [a aplicação de sanções] é desnecessária, mas eu não sou ninguém. É desnecessário porque o jogador percebeu que foi ingénuo naquela situação, mas é bom rapaz e tem um grande amigo no balneário que é asiático e o adora [Son Heung-min]. Não houve qualquer má intenção. Está arrependido e já pediu desculpa publicamente. Mas eu não sou ninguém", reforçou José Mourinho, em tom crítico.