Mourinho põe travão à hipótese Brasil, mas atira: "Não se pode dizer nunca"

Mourinho põe travão à hipótese Brasil, mas atira: "Não se pode dizer nunca"

Treinador reafirma a vontade de continuar a treinar na Europa, mas não fecha por completo a porta a destinos exóticos.

José Mourinho comentou para a DAZN através de videochamada a partida entre o River Plate e o Santos, em Montevidéu. Entre elogios ao comportamento do conjunto brasileiro e às várias nuances táticas apresentadas por este durante o desafio, o técnico português falou sobre o futuro, recusando a possibilidade de trabalhar no Brasil no futuro próximo.

"Aprendi que, na vida, não se pode dizer nunca. Passo sempre férias no Brasil, a minha família gosta muito do país. Mas, neste momento, prefiro e tenho a intenção de encontrar um clube na Europa", sublinhou. Nem mesmo Júlio César (ex-guarda-redes que trabalhou com Mourinho no Inter), outro dos convidados para comentar o desafio, fez o técnico mudar de opinião. "O Júlio será para sempre o meu goleirão", disse o treinador, convidando-o, de seguida, para um almoço em Lisboa.

Respondendo a todas as questões, Mourinho analisou ainda o percurso de Jorge Sampaoli, treinador do Santos. "Fez tudo o que se esperava. Foi campeão com a Universidade do Chile, depois esteve na seleção do Chile. Também assumiu um clube na Europa, o Sevilha, onde o trabalho foi bom e, depois, foi realizar o sonho de treinar a Argentina. Um momento que era para ser lindo, acabou por ser o mais doloroso para ele. Agora, está à procura da sua reconstrução."