"Estoril e Paços não, porque não vão mudar de treinador"

"Estoril e Paços não, porque não vão mudar de treinador"

José Mourinho esteve em Lisboa onde voltou a falar sobre o futuro, com humor à mistura.

José Mourinho marcou esta sexta-feira em Lisboa, onde numa conferência de imprensa abordou a indefinição que ainda reina quanto ao futuro. "Quero trabalhar e sei que vou trabalhar. Em janeiro, fevereiro, pus a hipótese de voltar a trabalhar esta época, mas à medida que a época foi avançando tinha menos vontade de o fazer. Garantido, garantido, é que quero voltar a trabalhar no início da próxima época. Posso garantir, quase com toda a certeza, que o vou fazer", atirou o treinador português.

"Tenho possibilidades, e boas possibilidades, em cima da mesa, por isso é uma questão de pensar, de decidir bem e de finalizar as coisas. No período de mercado, após o final desta época, todos saberemos qual vai ser o meu futuro profissional", continuou Mourinho, que tem sido insistentemente apontado ao Manchester United. Caso se concretizasse, teria Guardiola, próximo treinador do City, como rival.

"Não sei para onde vou. Ele sabe para onde vai, eu não sei para onde vou. Não vale a pena estarmos a traçar cenários. Na pré-época já nos encontraremos em qualquer campo. Uma coisa é certa, não vai ser no Estoril nem no Paços Ferreira, mas apenas porque eles estão a fazer ótimos campeonatos e não vão mudar de treinador", brincou Mourinho.

"Vou levar as minhas ideias para onde as quiseram muito, quem as quiser mais leva-me. Gosto de estar onde me querem verdadeiramente. Depois de alguns meses a recarregar baterias, vou estar pronto para voltar com tudo o que tenho para dar. Por isso tem de ser onde me quiseram muito, para eu me sentir confortável. Se nos vamos centrar no que as pessoas dizem, há mil e um cenários, uns reais, outros menos reais. Para qualquer lado vou de certeza e para a seleção da Síria não será de certeza, porque não é ainda uma seleção que me possa dar um trabalho de acordo com o meu perfil, apesar de me poder dar um trabalho honrado e muito respeitado. Quero trabalhar num clube com responsabilidades, quero trabalhar num clube com uma liga difícil, não quero trabalhar em ligas fáceis, não quero objetivos fáceis. Dentro dessas possibilidades, não há muitas opções que me satisfaçam. Com calma, vamos decidir bem", finalizou.