"Em 2017, Mourinho também estava enraivecido. Faz parte de um jogo psicológico"

"Em 2017, Mourinho também estava enraivecido. Faz parte de um jogo psicológico"

Por ocasião da final entre o Feyenoord e a Roma, os lamentos" de Mourinho foram descodificados.

É já amanhã, quarta-feira, que José Mourinho pode guiar a Roma à conquista da Conference League, cuja primeira edição será decidida em Tirana. Pela frente, os italianos vão encontrar o Feyenoord e Wesley Sneijder, antigo internacional neerlandês que conhece bem o treinador luso dos tempos do Inter, onde venceu a tripleta, explicou que Mou continua a fazer dos "mind games" uma arma: "Ri-me quando Mourinho disse que era injusto que o Feyenoord tivesse mais uma semana para se preparar para a final, pois a Roma ainda estava a disputar a Serie A."

O ex-médio deu como exemplo mais recente a final da Liga Europa que o Manchester United venceu com Mourinho ao leme, em 2017. "Estava enraivecido, porque o Ajax teria 12 dias de intervalo até à final e ele só tinha três dias para preparar a equipa. Faz tudo parte de um jogo psicológico. Ele faz os jogadores sentirem que tudo é injusto e isso motiva o plantel a querer reverter a injustiça", explicou, com detalhe.

Com um percurso invicto na competição, ao contrário da Roma, e beneficiando do encerramento da Eredivise antes da Serie A , o Feyenoord rumou ao Algarve para estagiar. Na despedida de terras portuguesas, Arne Slot pregou respeito pelo palmarés de Mourinho, mas apostou no triunfo da sua equipa. "O currículo dele também é inspirador, ganhou muitas finais, mas temos de nos concentrar no coletivo da Roma, independentemente do número de finais ganhas por Mourinho", referiu o técnico do Feyenoord, equipa com mais golos na prova (28).