UEFA admitiu vacinação de todas as seleções, mas recuou na ideia

UEFA admitiu vacinação de todas as seleções, mas recuou na ideia
Redação com Lusa

Tópicos

Na segunda-feira, a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) informou que a grande maioria da comitiva da seleção que vai participar no Euro'2020

A UEFA considerou a possibilidade de oferecer a vacinação contra a covid-19 a todas as seleções participantes no Euro'2020 de futebol, mas recuou na ideia devido às diferentes situações vividas em cada país.

"A conclusão foi a de que não era possível desde um ponto de vista ético e organizacional, uma vez que a vacinação de grupos prioritários continua a estar acima de tudo e a disponibilidade de vacinas para toda a população não se verificava no momento de início do Euro", explicou o organismo à agência EFE.

Perante este cenário, a UEFA entendeu que a vacinação não é obrigatória para todos os participantes e cada uma das 24 seleções, de acordo com a própria situação sanitária, tomou a sua própria decisão.

Na segunda-feira, a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) informou que a grande maioria da comitiva da seleção que vai participar no Euro'2020, que se inicia esta sexta-feira e decorre até 11 de julho, foi vacinada contra a covid-19.

"A quase totalidade do grupo foi vacinada em tempo útil, sendo que algumas pessoas, por não terem ainda passado seis meses sobre um teste positivo, não têm ainda indicação para vacinação", disse a FPF.

Portugal, que é o detentor do troféu, integra o grupo F do Euro'2020, juntamente com Hungria, Alemanha e França, tendo estreia marcada na competição para terça-feira, diante dos húngaros, em Budapeste, antes de defrontar os germânicos, em 19 de junho, em Munique, e os franceses, em 23 de junho, novamente na capital magiar.