OMS alerta para efeitos de celebrações públicas após o Europeu

OMS alerta para efeitos de celebrações públicas após o Europeu
Redação com Lusa

Tópicos

Itália conquistou o troféu em Wembley após vencer a Inglaterra nas grandes penalidades.

A Organização Mundial da Saúde alertou esta segunda-feira que pode haver um grande aumento de infeções devido às grandes concentrações depois da final do Campeonato Europeu de futebol, num momento em que a curva de contágios está a subir.

"É compreensível querer comemorar, mas o vírus espalha-se a menos que os participantes dessas comemorações estejam vacinados, tenham sido testados e sejam uma população de baixo risco", assinalou em conferência de imprensa o diretor de Emergências de Saúde da OMS, Mike Ryan.

O especialista irlandês frisou que, apesar de terem sido aplicadas medidas restritivas rigorosas nos estádios, este tipo de concentrações não consegue ser controlada em muitos dos casos e, portanto, representam um risco maior.

Ryan disse ainda que as celebrações na Europa podem ser um "problema de imagem", porque existe o risco de que noutras partes do mundo transmitam a impressão de que a crise sanitária acabou, numa altura em que as infeções e as mortes continuam a aumentar.

"O resto do mundo vê como colapsam os seus sistemas de saúde, enquanto na Europa parecer que a vida regressou à normalidade. É mais difícil para os governos, nesta situação, continuarem a implementar medidas de saúde pública", alertou.

Horas antes, a chefe da Unidade Técnica da OMS para a Covid-19, Maria Van Kerkhove, qualificou nas redes sociais o quão "devastadoras" são as imagens de grandes celebrações nas ruas, protagonizadas por muitos jovens, a maioria certamente ainda não vacinados, e que não usavam máscaras.

Num contexto de aumento de casos na maioria dos continentes "isto é muito preocupante", alertou a especialista na conferência de imprensa, e pediu aos cidadãos para que "atuem de forma correta e tenham em conta os riscos".

No domingo, a Itália conquistou o seu segundo título de campeã europeia de futebol, 53 anos depois, sucedendo a Portugal, ao bater a anfitriã Inglaterra por 3-2, nas grandes penalidades, após 1-1 nos 120 minutos, na final do Euro2020, em Londres.