"O Renato Sanches consegue desmontar os sistemas adversários"

"O Renato Sanches consegue desmontar os sistemas adversários"

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

António Pires

Tópicos

ENTREVISTA >> Xeka, médio campeão francês pelo Lille, confia que Portugal tem qualidade suficiente para travar e vencer a França, e recorda como a sua equipa conseguiu anular Mbappé

Xeka, médio que esta época se sagrou campeão francês com o Lille, conhece bem a seleção francesa e algumas das suas principais estrelas, nomeadamente Mbappé que foi "metido no bolso" pelos dogues num jogo decisivo da Ligue 1, em que bateram o PSG por 1-0. Ainda a gozar férias, o futebolista de 26 anos tem sido espectador atento do Europeu e atreve-se a deixar alguns conselhos para que a Seleção obtenha a tão almejada qualificação.

Após duas jornadas como avalia os desempenhos de Portugal?

-Já se sabia que nos calhou um grupo muito difícil, o chamado grupo da morte. Começamos muito bem o Europeu, com uma vitória clara sobre a Hungria, num jogo em que fomos claramente superiores. Demorámos a chegar ao golo, mas conseguimos um excelente resultado. Com a Alemanha as coisas não correram tão bem. Foi um jogo muito complicado, pode acontecer. A este nível, contra grandes equipas os erros pagam-se caro e a Alemanha aproveitou bem o facto de Portugal não ter conseguido defender bem.

Conhece bem a França, o que espera desta partida?

-Espero uma partida muito tática. Acredito que a França, apesar de querer segurar o primeiro lugar do grupo, não vai correr demasiados riscos, vai jogar como fez frente à Alemanha. Portugal terá de fazer tudo para ganhar. Nestes jogos, os pequenos detalhes fazem a diferença, a Seleção terá de ter grande atenção defensiva e procurar ser eficaz no ataque. Mas acredito que temos boas possibilidades de obter um bom resultado e passar, até mesmo de vencer. Portugal tem de ter consciência do seu valor. Sabemos da enorme qualidade dos jogadores franceses, mas a equipa portuguesa também tem grande valor, com jogadores em algumas das melhores equipas do mundo. Não há motivo para ter receio, apenas o respeito que se impõe entre duas seleções muito fortes.

E quais são os pontos fortes desta França?

-A França é uma equipa muito equilibrada. Com o regresso do Benzema passou a contar com uma referência no ataque. Procuram explorar a velocidade e explosão de Mbappé para surpreender as defesas contrárias em contra-ataque e depois têm Griezmann e Benzema a surgirem no apoio, todos com muita qualidade. No meio-campo são também muito sólidos, sobretudo com Kanté, um jogador fundamental na recuperação de bola e a iniciar a transição ofensiva, e Pogba, um jogador fisicamente possante, com capacidade de passe.

Como se trava Mbappé? O Lille conseguiu fazê-lo no campeonato...

-O Lille e Portugal não têm a mesma forma de jogar, nós defrontámos o PSG de Mbappé com duas linhas de quatro (defesa e meio-campo), muito juntas e compactas. Conseguimos assim defender a profundidade e sobretudo manter uma pressão constante sobre o portador da bola, impedindo-o de ter tempo para fazer lançamentos para as costas da nossa defesa. O ataque à profundidade é uma das grandes armas de Mbappé e nós conseguimos controlar isso, Portugal deve procurar fazer o mesmo.

Que fraquezas vê neste adversário?

-Gosto muito da defesa da França, dos dois centrais, mas também dos laterais, fortes no apoio ofensivo, rápidos e com bom jogo aéreo. Penso que Portugal deve explorar o espaço entre linhas, com um futebol mais vertical para surpreender a defesa francesa. Quando tiver a bola, com a qualidade dos seus jogadores mais ofensivos, tem de usar a velocidade e atacar os espaços para criar problemas à França e, claro, demonstrar eficácia.

"Renato Sanches pode ser importante"

Acha que o Renato Sanches pode ser titular? O que pode acrescentar?
-Um dos pontos mais fortes do Renato é a irreverência. Tem qualidades muito específicas, pode ser o médio mais ofensivo, segundo médio ou até jogar mais pela ala, embora não seja um extremo. É um futebolista que, pelas suas características consegue trazer quase sempre algo de novo, é um desestabilizador nato, consegue desmontar os sistemas adversários. Tem capacidade de transporte de bola, poder físico e velocidade. Pode ser um jogador importante num jogo como este.

E onde encaixaria melhor?
-Depende muito da tática que for escolhida e do que o selecionador pretender dele. Mas, atenção, o Renato Sanches não é um ala, ele jogava muitas vezes sobre a esquerda no Lille, mas nós jogávamos num meio-campo a quatro, o que lhe permitia fazer muitos movimentos interiores, vir de fora para dentro e criar desequilíbrios.