"Gosens fez um jogo bom porque o selecionador português não sabia o seu nome"

"Gosens fez um jogo bom porque o selecionador português não sabia o seu nome"

Uli Hoeness, histórico ex-dirigente do Bayern, criticou a prestação alemã no Euro'2020.

A Alemanha foi uma das seleções que desiludiu no campeonato da Europa que terminou este domingo, com a vitória de Itália em Londres.

Depois de passarem a fase de grupos (derrota com França, vitória sobre Portugal e empate com a Hungria), os germânicos tombaram nos oitavos de final, frente à finalista vencida Inglaterra, e, num balanço da campanha da "Mannschaft", Uli Hoeness não poupou nas críticas.

O antigo dirigente do Bayern visou Joachim Low - deu lugar a Hansi Flick no comando técnico -, Toni Kroos - que anunciou logo depois a retirada da seleção - e... Robin Gosens, grande artífice do triunfo alemão sobre Portugal (4-2), em Munique.

"Fez um jogo bom porque o selecionador português, aparentemente, não conhecia o seu nome. Nos outros jogos nem apareceu. E a razão é simples: trata-se de um jogador muito limitado tecnicamente quando as coisas ficam sérias", atirou Hoeness ao canal Sport1. E as críticas não pararam.

"Um dos problemas de Low foi querer integrar Kroos a toda a força. Mas o Toni não cabe no futebol atual. Low não tentou copiar o que Flick fez no Bayern, quis fazer algo diferente. Mas, se tivéssemos jogado com Kimmich, Goretzka e Muller no meio-campo, juntando Gnabry e Sané nas alas e Havertz na frente, teríamos terminado noutro lugar. Tenho cem por cento de certezas", rematou.