Euro'2020: Itália leva nove jogos consecutivos a ganhar e sem sofrer golos

Euro'2020: Itália leva nove jogos consecutivos a ganhar e sem sofrer golos

Um autogolo de Merih Demiral, que teve uma passagem episódica pelo Sporting, inaugurou o marcador, aos 53 minutos

A Itália entrou de forma muito convincente no 16.º Europeu, ao subjugar e vencer a Turquia por 3-0, num resultado que poderia ter sido mais amplo, no jogo de abertura do Euro2020, em Roma.

No Estádio Olímpico da capital transalpina, o conjunto de Roberto Mancini, que não deve ser confundido com aquelas equipas italianas que apostavam num futebol defensivo, dominou de início a fim, embora só tenha faturado na segunda parte.

Um autogolo de Merih Demiral, que teve uma passagem episódica pelo Sporting, inaugurou o marcador, aos 53 minutos, com Ciro Immobile, aos 66, e Lorenzo Insigne, aos 69, a aumentarem a vantagem, perante uma Turquia que nunca esteve perto de marcar.

A "squadra azzurra" somou o seu nono triunfo consecutivo, todos sem sofrer golos, e o 28.º embate sem perder (23 vitórias e cinco empates), curiosamente desde o 0-1 com Portugal, em 10 de setembro de 2018, num jogo da Liga das Nações resolvido por André Silva.

Perante uma Turquia fechada atrás e preocupada quase exclusivamente em não dar espaço no último terço do campo, a Itália entrou a dominar, instalando-se, como bola, no meio-campo contrário.

Os italianos foram tentando "furar", com a primeira grande ameaça a aparecer aos 22 minutos, quando Insigne se conseguiu isolar sobre a esquerda, para rematar ao lado, depois de umas primeiras tentativas de Immobile (três e 21).

Até ao intervalo, o avançado da Lazio, de cabeça, aos 33 minutos, efetuou o remate mais perigoso, mas também Barella (29), Insigne (37) e Berardi (39) tentaram, enquanto Yilmaz teve a iniciativa mais perigosa da Turquia, mas nem rematou.

Na segunda parte, a Turquia veio com Ünder em vez de Yazizi e a Itália com Di Lorenzo no lugar de Florenzi e, aos 53 minutos, a Itália marcou, com Berardi a ganhar espaço na direita e a centrar para o desvio infeliz de Demiral.

O golo "acabou" com o jogo, na medida em que a Itália ainda cresceu mais e a Turquia resignou-se, incapaz de reagir, de colocar em algum sobressalto o "onze" de Roberto Mancini.

Desta forma, foi com toda a naturalidade que chegaram mais dois tentos para os "anfitriões", o primeiro por intermédio de Immobile, que marcou aos 66 minutos, na recarga a defesa para a frente de Çakir, em resposta a um primeiro remate de Di Lorenzo.

Aos 79 minutos, foi a vez de Lorenzo Insigne marcar o melhor golo da noite, com um remate cruzado na área, sobre a esquerda, a colocar a bola junto ao poste esquerdo, depois de uma primorosa assistência de Immobile.

Na parte final, a Itália desacelerou e a Turquia ainda tentou, nos descontos, chegar ao golo de honra, por Yilmaz, mas o veterano Chiellini nem o deixou incomodar Donnarumma.

Jogo no Estádio Olímpico de Roma.

Turquia - Itália, 0-3.

Ao intervalo: 0-0.

Marcadores:

0-1, Merih Demiral, 53 minutos (própria baliza).

0-2, Ciro Immobile, 66.

0-3, Lorenzo Insigne, 79.

Equipas:

- Turquia: Çakir, Celik, Demiral, Söyüncü, Meras, Yokuslu (Kahveci, 65), Karaman (Dervisoglu, 76), Tufan (Ayhan, 64), Yazici (Ünder, 46), Çalhanoglu e Yilmaz.

Selecionador: Senol Günes.

- Itália: Donnarumma, Florenzi (Di Lorenzo, 46), Bonucci, Chiellini, Spinazzola, Jorginho, Barella, Locatelli (Cristante, 74), Berardi (Bernardeschi, 85), Insigne (Chiesa, 81) e Immobile (Belotti, 81).

Selecionador: Roberto Mancini.

Árbitro: Danny Makkelie (Países Baixos).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Söyüncü (88) e Dervisoglu (90).

Assistência: 15.948 espetadores.