"O Cristiano Ronaldo nunca superava o Jardel e não aceitava isso"

"O Cristiano Ronaldo nunca superava o Jardel e não aceitava isso"

O ex-treinador do Sporting, Boloni, recordou histórias da altura em que treinava o atual capitão da seleção nacional

Em entrevista ao jornal francês 'L'Équipe', Laszlo Bölöni falou, em véspera do encontro entre Portugal e França, de Cristiano Ronaldo, um jogador que conhece muito bem de quando o treinou no Sporting, no início na carreira do craque português.

O treinador romeno treinou também o francês Varane, no Lens. E as comparações foram inevitáveis.

"Foi extraordinário falar com os pais do Varane no Lens. Perguntaram-me timidamente 'pensa que os nosso filho chegará longe?' Aconteceu-me o mesmo com a mãe do Ronaldo na Madeira. Por detrás destes meninos havia uma forte relação de amor com os pais. Penso que isto deu-lhes a serenidade que é necessária no desporto de alto rendimento. E chegaram longe, disso não há dúvida", conta o ex-treinador dos leões.

No entanto, Boloni conseguiu encontrar uma diferença nos crescimento profissional de ambos.

"O Ronaldo deixou a família com 12 anos para ir para o centro de treinos. que não era nada como o que conhecemos hoje. Não tinha ninguém para o consolar. Já o Varane podia voltar a casa", explicou.

O treinador enalteceu a capacidade de trabalho do capitão português e recordou uma história caricata que retrata, na perfeição, esse espírito.

"O Quaresma gostava muito do espetáculo, o Cristiano também, mas estava mais focado em ser o melhor do Mundo. Eu finalizava os treinos com os avançados. Centrava-me no Mário [Jardel], no João Pinto, no Marius [Niculae] e nele. O Cristiano nunca superava o Jardel e não aceitava isso. Ele dizia 'vamos mister, mais uma série, mais uma série!'", lembrou.