Rui Patrício: "Ninguém tem de me dar os parabéns"

Rui Patrício: "Ninguém tem de me dar os parabéns"

Guarda-redes da Seleção Nacional fez antevisão ao encontro com a Áustria e foca a importância do coletivo em detrimento de destaques individuais, deixando a sua exibição com a Islândia para segundo plano.

Preparação do encontro com a Áustria: "Em cada jogo temos de entrar preparados para tudo. Cada jogo tem a sua história, como o da Islândia teve, o mais importante é fazermos o nosso melhor, o que interessa é o resultado. Frente à Islândia não foi o que queríamos, mas agora o importante é o jogo de amanhã".

Confiança: "Vamos ter sempre no máximo a confiança, foi com isso que chegámos até aqui e sabemos a qualidade que temos. Sabemos a qualidade de todos, como disse importa prepararmo-nos bem para amanhã [sábado] e o objetivo é vencer".

Titularidade: "[Ser titular] Nunca altera nem vai alterar [modo de trabalhar]. Trabalhamos todos com o mesmo objetivo. Quem joga e quem não joga tem sempre o mesmo objetivo. Tanto eu como o Anthony Lopes e o Eduardo temos o objetivo de jogar. Ninguém tem de me dar os parabéns porque estamos aqui todos para dar o nosso melhor. Jogue quem jogar dará sempre o melhor e quem não joga dá força a quem está lá dentro. Estamos todos focados naquilo que temos de fazer".

Apoio dos portugueses: "Pelo apoio que nos têm dado só temos a agradecer. Tem sido fantástico, temos visto as imagens das pessoas a verem os jogos e de certeza que nos dará mais força. Isso é fantástico".

Sobre a Áustria: "Sabemos que é uma equipa muito bem organizada, defensivamente e ofensivamente. Pelo que temos visto ao longo do Europeu, as equipas que se dizem favoritas não têm tido jogos fáceis. Sabemos que será difícil, mas estamos focados em nós e no que temos de fazer. Mesmo conhecendo bem a Áustria, o mais importante é pensarmos em nós".

Evolução: "Sinto-me muto bem, não sei se me sinto melhor agora do que há dois ou quatro anos, sinto-me muito bem pelo trajeto que tenho feito, pelos momentos que tenho passado. O importante é crescer e aprender. É isso que vejo e quero. Foi uma grande aprendizagem ao longo da minha carreira. Quero estar melhor todos os dias e quero continuar a evoluir e a trabalhar. É lógico que com os anos vamos ganhando experiência. Desde 2008 que estou presente em grandes competições e é lógico que isso nos dá experiência e maturidade. Isso é que é o mais importante, a forma como trabalhamos e evoluímos".