Wilmots deixa comando da seleção belga

Wilmots deixa comando da seleção belga

Federação belga considera que os quartos de final no Euro'2016 não foram suficientes para manter o técnico no comando da seleção.

A Federação Belga de Futebol (URBSFA) chegou a acordo com o selecionador Marc Wilmots para a rescisão do contrato que expirava em 2018, por considerar que "os objetivos propostos não foram alcançados" no Euro'2016, conquistado por Portugal.

"Temos a convicção de que é necessário dar um novo impulso, para que este grupo obtenha ainda melhores resultados quando atinge a fase final" de uma grande competição internacional, indica a URBSFA, no seu sítio oficial na Internet.

A Bélgica, atualmente segunda classificada no ranking da FIFA, foi eliminada nos quartos de final do Europeu, ao perder por 3-1 com o País de Gales, que foi batido nas meias-finais por 2-0 pela seleção portuguesa, na caminhada para a conquista de um título inédito, concretizada com a vitória na final sobre a anfitriã França, por 1-0, após prolongamento.

O organismo federativo agradeceu a contribuição de Wilmots, lembrando que nos quatro anos em que o treinador esteve no comando da seleção a Bélgica subiu do 54º lugar à liderança do ranking da FIFA, tendo vencido 34 dos 51 jogos que disputou.

A federação belga iniciou o processo de contratação de um novo selecionador, que espera estar concluído antes do jogo particular com a Espanha, marcado para 1 de setembro, e dos primeiros encontros de qualificação para o Mundial'2018, a disputar na Rússia.