"Jogar à bola e jogar futebol não é a mesma coisa"

"Jogar à bola e jogar futebol não é a mesma coisa"

O selecionador português, Fernando Santos, descartou hoje qualquer euforia depois do triunfo sobre a Croácia.

O selecionador português, Fernando Santos, descartou hoje qualquer euforia depois do triunfo sobre a Croácia (1-0), que garantiu o acesso aos quartos de final do Euro2016 de futebol, e considerou que vai ser difícil vencer Portugal nesta competição.

"Sei que dificilmente alguém ganha a Portugal. A partir daí, fazemos as coisas. Atenção, isso não pressupõe que vamos ganhar a todos, agora que vai ser difícil ganhar a Portugal, isso sim", afirmou Fernando Santos.

Em Marcoussis, no Centro Nacional de Râguebi, o selecionador nacional rejeitou que a formação das 'quinas' tenha entrado em euforias depois do triunfo nos 'oitavos' sobre os croatas no prolongamento e garantiu que está "imune" a esse tipo de emoções.

"Quando ganhámos 7-0 à Estónia, falou-se em euforia desmedida. Depois empatámos três vezes e já tínhamos ido ao fundo. Agora voltamos outra a uma euforia desmedida. A equipa está imune a isso e isso é que é importante. Não há desânimo nem euforia", referiu o treinador, de 61 anos.

Fernando Santos, que neste domingo autorizou que os 23 jogadores que trouxe a França tivessem um dia livre, desvalorizou ainda algumas críticas que Portugal tem recebido pelo tipo de futebol que está a praticar no Campeonato da Europa.

"Todos querem que ganhe Portugal. Há sempre 100 que não querem em 15 milhões de portugueses, mas isso não é um número, é uma coisa ridícula. O povo está connosco e é isso que temos sentido nas praças e nas ruas. Temos sentido a alegria do povo", disse.

Ainda como resposta aos críticos, Fernando Santos explicou que Portugal, para continuar no Euro2016, deve continuar a "jogar futebol" e não a "jogar à bola".

Jogar à bola e jogar futebol não é a mesma coisa. É uma coisa sem organização e individual em que cada um faz o seu número de 'circo'. As pessoas gostam muito, mas isso não é futebol. A minha equipa tem que jogar futebol. Se vai jogar à bola não ganha a ninguém. Nem à Letónia tinha ganho", frisou o selecionador nacional, que se enganou naquele que foi último adversário de Portugal na preparação para o Europeu.

"Letónia, Estónia, já nem sei. O Báltico dá cabo de mim", brincou.

Os jogadores da seleção portuguesa têm até às 23:00 (22:00 horas de Lisboa) para regressarem ao Centro Nacional de Râguebi, onde, na segunda-feira, começam a preparar o duelo com a Polónia, dos quartos de final, que está agendado para quinta-feira, em Marselha.

Na entrada para o recinto, perto de 500 emigrantes e lusodescendentes, dos 8 aos 80 anos, combateram o calor (termómetros voltaram a atingir os 30 graus em Marcoussis) e aproveitaram o domingo para tentar avistar os jogadores portugueses, na habitual 'caça' aos autógrafos e fotografias.