Olhanense não desiste e já mete Ronaldo ao barulho: a carta dirigida ao craque

Olhanense não desiste e já mete Ronaldo ao barulho: a carta dirigida ao craque

Clube algarvio não se conforma com a decisão da Federação Portuguesa de Futebol

O Olhanense não se conforma com a decisão da Federação Portuguesa de Futebol em indicar Arouca e Vizela para a II Liga, reclamando também um lugar no segundo escalão profissional na próxima temporada. O clube algarvio decidiu mesmo escrever uma carta a Cristiano Ronaldo, craque da Juventus e capitão da Seleção Nacional.

"Somos jogadores do Sporting Clube Olhanense, um clube algarvio com 108 anos de história, (onde o teu amigo Valdir se iniciou) que, nesta época, participou no Campeonato de Portugal, (o 3° terceiro escalão do futebol português). Decidimos enviar-te esta carta porque tu és o símbolo máximo mundial dos jogadores. O Deus do futebol português e o modelo de inspiração para qualquer um que joga futebol no nosso país. O mito do Cristiano Ronaldo, cada dia, inspira e mexe as paixões de todos os meninos, que praticam o futebol de rua, em todos os bairros portugueses; que alimenta as esperanças dos miúdos que diariamente chegam aos treinos de formação; que ajuda os profissionais a trabalhar para serem sempre jogadores melhores. E também nós, como jogadores dos campeonatos menores, somos continuamente inspirados pelos teus esforços e pelo teu heroísmo", surge escrito.

"És a mais alta instância futebolística da história e o mais elevado detentor dos valores que constituem este desporto. A tua extraordinária carreira, os teus objetivos atingidos e as tuas históricas vitórias são resultado do teu enorme talento, unido a uma total dedicação e sacrifícios, por isso tu és o melhor! E, por isso, estamos certos que tu poderás imaginar o estado emocional em que nós próprios nos encontramos neste momento. Desafiando todas as dificuldades próprias do futebol semiprofissional, trabalhamos desde o primeiro dia desta época, com um único objetivo: atingir a subida de divisão para finalmente nos tornarmos jogadores profissionais. Com o mesmo foco dum campeão que treina para ganhar um título, para levantar uma taça, seguindo o teu exemplo", continua.

As exibições dentro de campo e até a chamada de um jovem à seleção sub-20 são pontos que não foram esquecidos. "Foi uma grande época capitão! Jogo após jogo, a nossa equipa ganhou confiança, o balneário juntou-se, os adeptos cresciam e os resultados chegaram. Na primeira parte da época, a nossa equipa tinha mais golos marcados que todas as equipas em Portugal: mais do que o FC Porto e o Benfica que estão noutra realidade! Estivemos no primeiro lugar da nossa série em mais de 75% do campeonato. Terminámos em primeiro lugar a primeira volta, inclusive com mais pontos que todos e estávamos igualmente no primeiro lugar no momento da interrupção dos jogos pela covid-19 . Imagina que o nosso lateral esquerdo, o Leonardo Lelo, com dezanove anos, foi convocado para seleção portuguesa sub-20. O único jogador na seleção nacional de todo o Campeonato de Portugal. Que lindo! Que satisfação! O nosso campeonato joga-se em quatro séries territoriais de 18 equipas. São 72 equipas. Chama-se o Campeonato de Portugal porque é um torneio nacional onde são representadas todas as regiões do nosso amado país. Aqui os jogos são uma mistura de sonhos, bairrismo, garra, qualidade, obstáculos e paixão. Aqui surgem jovens jogadores que, graças à sua obrigação, servirão de sustento aos patamares superiores. Constituímos a base menos nobre do futebol português!", aponta o Olhanense.

O clube de Olhão prossegue depois com algumas notas sobre o regulamento. "Diz que as primeiras duas equipas de cada série vão jogar um play-off para apurar as duas equipas que irão subir à Segunda Liga. Claramente, o primeiro objetivo de cada equipa que ambiciona subir é chegar aos dois primeiros lugares da sua série. É com base nisso que se planeia a época. Como certamente acontece no teu clube, com base nisso criam-se estratégias e rotações de jogadores durante a época. Nunca foi nosso objetivo ter de fazer mais pontos do que as equipas doutras séries. São séries diferentes com equipas diferentes e que nunca se confrontaram antes do play-off. Depois chegou esta desgraça da covid-19 e foi decidido que no nosso escalão não se podia voltar a jogar. Alguns dias depois, a FPF, absurdamente, decidiu subir à Segunda Liga as duas equipas com mais pontos das quatro séries", lamenta.

"Nunca foi o nosso objetivo pontuar mais do que as equipas das outras séries, não era claramente uma ideia que nos passasse pela cabeça dado o desequilíbrio de competitividade entre as séries . A FPF decidiu assim e falou em mérito desportivo. Portanto, o nosso clube foi excluído da subida de divisão porque tinha um ponto a menos duma outra equipa duma outra série. Acabámos no primeiro lugar e não subimos de divisão como aconteceu às outras equipas do mesmo campeonato?!? Porquê? Porque tínhamos um ponto a menos duma outra equipa duma outra série? Ainda não percebemos ... Num momento tão delicado como este que o mundo vive, quando todos temos a responsabilidade de ser solidários com todos os competidores de forma a resolver o prejuízos da pandemia, mas interesses políticos e económicos não permitem. Todos os nossos sonhos, a nossa paixão e a nossa confiança morreram naquele dia em que saiu esta inexplicável decisão. E tu sabes melhor do que os outros, capitão, que, sem confiança no futebol verdadeiro, irão nascer cada vez menos heróis. E sem heróis o futuro dos nossos meninos irá ser muito pior. Ajuda-nos a acreditar que pudéramos conseguir justiça e a não viver em clima de constante desconfiança", termina a carta.