"O autogolo de CR7", arquiteto reage à marquise no apartamento de Ronaldo em Lisboa

"O autogolo de CR7", arquiteto reage à marquise no apartamento de Ronaldo em Lisboa

O arquiteto José Mateus, um dos fundadores da ARX, atelier de arquitetura responsável pelo prédio, reagiu nas redes sociais com desagrado, anunciando que é algo a que não assistirá "parado"

Podia ser apenas mais uma marquise no horizonte de muitas cidades portuguesas, mas a marquise acrescentada por Cristiano Ronaldo ao luxuoso apartamento que comprou em Lisboa - ao que se sabe a penthouse terá custado sete milhões de euros - tornou-se num enorme pormenor.

Antes de mais, porque escapa ao projeto inicial; em segundo porque o gabinete de arquitetura responsável pelo edifício Castilho 203 garante que nem sequer teve "a anuência dos arquitectos, dos vizinhos" e não teve "projecto aprovado pela CML".

O projeto inicial era outro - incluia, por exemplo, piscina e um espaço lounge no exterior -, mas as mais recentes imagens e o vídeo publicado por Georgina nas redes sociais revelam a presença de uma estrutura metálica no topo da penthouse. Uma marquise, portanto.

Perante isto, o arquiteto José Mateus , um dos fundadores da ARX, atelier de arquitetura responsável pelo prédio, reagiu nas redes sociais com desagrado, anunciado que é algo a que não assistirá "parado. Há cultura, há autorias, há regras, há respeito pelos outros e pelo trabalho dos outros, há civismo, há princípios que não admito que sejam atropelados. Seja por quem for", pode ler-se na redes social Facebook.

"Inúmeras vezes vibrei com a arte de CR7, emocionei-me com os seus golos extraordinários. Hoje marcou um autogolo, aquele que me ficará gravado para sempre, na minha arquitectura, e sob a forma de um profundo desprezo", conclui José Mateus.

Publicação na íntegra

"O AUTOGOLO DE CR7

A admiração e respeito que tinha por Cristiano Ronaldo, um atleta exímio e inspirador, um exemplo para todos que muitas vezes referi perante os meus filhos e alunos, desmoronou-se num ápice.

Comprou um apartamento no edifício Castilho 203, cuja arquitectura foi desenhada pela ARX, atelier que fundei com o meu irmão Nuno em 1991 e que baseia o seu trabalho, tal como CR7, numa dedicação extrema, níveis de exigência altíssimos, trabalho diário duríssimo. Assistir ao desrespeito e à conspurcação de forma ignóbil do nosso trabalho, da nossa arquitectura, sem ter cumulativamente a anuência dos arquitectos, dos vizinhos e sem projecto aprovado pela CML, construindo à bela "maneira antiga" uma marquise no coroamento do edifício, é algo a que não vou assistir parado. Há cultura, há autorias, há regras, há respeito pelos outros e pelo trabalho dos outros, há civismo, há princípios que não admito que sejam atropelados. Seja por quem for.

Inúmeras vezes vibrei com a arte de CR7, emocionei-me com os seus golos extraordinários. Hoje marcou um autogolo, aquele que me ficará gravado para sempre, na minha arquitectura, e sob a forma de um profundo desprezo."