Nagelsmann aborda Ronaldo: "Implica muito dinheiro e já não caminha para novo"

Nagelsmann aborda Ronaldo: "Implica muito dinheiro e já não caminha para novo"
Alexandre Dionísio

O treinador do Bayern deu a entender que o salário que CR7 aufere, aliado aos seus 37 anos, são os fatores que têm impedido o surgimento de mais clubes interessados na sua contratação.

Julian Nagelsmann, treinador do Bayern, abordou esta sexta-feira a situação de Cristiano Ronaldo. Depois de os bávaros terem descartado a sua contratação, por "não encaixar na filosofia do clube", o CEO do Dortmund também desmentiu a existência de contactos pelo astro português.

O técnico, em conferência de imprensa, deu a entender que o salário que CR7 aufere, aliado aos seus 37 anos, são os fatores que têm impedido o surgimento de mais clubes interessados na sua contratação.

É de referir que, segundo a Imprensa britânica, o Manchester United está aberto a uma saída de Ronaldo, que continua em busca de um clube que compita na próxima edição da Liga dos Campeões.

"Honestamente, pouco me importa se ele vai para o Dortmund ou não. Ele tem contrato com o Manchester United. É um grande jogador, marca muitos golos e vai continuar a fazê-lo, não sei em que clube. Mas não acho que isso seja relevante", começou por dizer o alemão, de 35 anos.

A Imprensa internacional tem avançado, ao longo das últimas semanas, que Jorge Mendes, agente do capitão da Seleção Nacional, tem tentado convencer vários emblemas a avançarem para a contratação do madeirense, algo que não surpreende Nagelsmann.

"Tenho ideia que ganha dez por cento [do valor de uma transferência] (risos). Penso que Mendes passa muito tempo no telemóvel. Vi-o num documentário e acho que é uma coisa boa, os jogadores terem agentes que não querem saber apenas do dinheiro, que trabalham... Penso que é normal que esteja a fazer isso", referiu.

"Tens de ser capaz de o pagar. Ele não caminha para novo, implica muito dinheiro. Penso que há muitos clubes que o gostariam de ter, mas para 15 equipas da Bundesliga, seria muito difícil pagar-lhe o salário anual. Todos os clubes sabem que é um grande jogador, que marcaria muitos golos e venderia muitas camisolas, mas ele traz também uma pressão adicional. Sobre isso, terão de perguntar melhor a Mendes, ele bem o saberá", concluiu Nagelsmann.