"Penso que a saída de Zidane teve mais impacto no Real do que a de Ronaldo"

"Penso que a saída de Zidane teve mais impacto no Real do que a de Ronaldo"

Clarence Seedorf considera que o astro português foi "importantíssimo" para o Real Madrid, mas ressalva que "as grandes equipas não dependem de um só jogador".

Cristiano Ronaldo representou o Real Madrid entre 2009 e 2018 e, em nove anos, marcou uma era no clube "merengue", batendo recordes atrás de recordes. Contudo, há quem considere que a saída de Zinedine Zidane do comando técnico do campeão europeu em título causou maior impacto no seio do emblema "blanco" do que a do astro português.

"Cristiano era considerado um rei em Madrid e foi uma garantia de golos para a equipa. Se ainda estivesse na equipa, o Real teria maior autoconfiança, mas não creio que os resultados tivessem sido muito diferentes", assinalou Clarence Seedorf, em entrevista ao jornal Marca, prosseguindo:

"Provavelmente, a saída de Zidane teve mais impacto porque alterou o método de trabalho. Quem o substituiu precisava de um trabalho especial para ter êxito imediato e superar as dificuldades iniciais", acrescentou o holandês, atual selecionador dos Camarões e que, como jogador, representou o Real Madrid entre 1996 e 2000. Questionado sobre a sua preferência entre Ronaldo e Messi, Seedorf optou pela via "diplomática".

"Ambos dominaram o cenário do futebol mundial na última década, cada um à sua maneira. Messi tem o seu próprio estilo, Cristiano tem outro completamente distinto. Continuam a ser decisivos pela forma como jogam. São campeões extraordinários que interpretam o futebol de maneira diferente", rematou.