Mais um feito único no currículo de Cristiano Ronaldo

Mais um feito único no currículo de Cristiano Ronaldo

Cristiano Ronaldo tornou-se no primeiro futebolista a conseguir tamanho feito

A tarde deste sábado foi de consagração para a Juventus e de Cristiano Ronaldo como campeões de Itália. Ou seja, o CR7 é campeão na época de estreia em Itália e alcança um feito inédito na história do futebol europeu: é o primeiro futebolista a ganhar as três maiores ligas do Velho Continente, sendo as outras duas, naturalmente, a inglesa (tricampeão) e a espanhola (duas vezes vencedor). Há inúmeros exemplos de jogadores campeões em pelo menos três dos cinco maiores campeonatos, como Tiago, vencedor em Inglaterra (Chelsea), França (Lyon) e Espanha (Atlético de Madrid), ou Khedira, campeão na Alemanha (Estugarda), Espanha (Real Madrid) e Itália (Juventus).

Mas, sejamos claros, a Bundesliga e a Ligue 1 estão num patamar inferior ao da Premier League, La Liga e Serie A em termos de prestígio e importância histórica. Para o supercampeão português, este scudetto é o segundo troféu conquistado nos bianconeri, depois da Supertaça italiana. Para trás ficou a corrida pelo grande objetivo da temporada: a Champions. Ronaldo, recorde-se, já ergueu o troféu cinco vezes, incluindo nos três últimos anos, e procurava igualar o recordista Gento (Real Madrid), único jogador seis vezes campeão europeu.

Apesar de este ser o sexto título ganho pelo CR7 numa das grandes ligas europeias, vai continuar atrás de Figo, o recordista português, com oito, quatro na Espanha (Barcelona e Real Madrid) e outras tantas em Itália (Inter de Milão). No entanto, tendo o capitão da Seleção Nacional um contrato de mais três temporadas com a Vecchia Signora, ainda está a tempo de estabelecer um novo máximo se a Juventus continuar a exibir a supremacia recente.

A Supertaça de Portugal, com o Sporting, foi o primeiro troféu ganho por Cristiano Ronaldo a nível profissional, juntando-lhe desde então mais nove no Manchester United, 15 no Real Madrid, um na Juventus e um por Portugal. Este scudetto será a 28.ª conquista coletiva, estando cada vez mais perto de superar Vítor Baía como o português mais vitorioso (30 troféus) em termos coletivos.