Ex-Sporting sobre o "leãozinho" Ronaldo: "Jogava contra nós, tinha qualidade, mas..."

Ex-Sporting sobre o "leãozinho" Ronaldo: "Jogava contra nós, tinha qualidade, mas..."
Redação

Tópicos

Um ano a treinar com o (ainda júnior) produto da formação de Alcochete não foi foi insuficiente para depreender a evolução do agora craque. Profissionalismo de CR7 é exemplo

No verão de 2000, Rodrigo Fabri, que chegava a Alvalade para jogar no Sporting, cedido pelo Real Madrid, coincidiu com o então imberbe Ronaldo (tinha 15 anos), a despontar na cantera leonina, em treinos da equipa principal. Convencido pelo talento ainda por lapidar, o ex-avançado admite que não previu o tamanho sucesso alcançado.

"Fazíamos treinos contra as equipas da formação e ele jogava contra. Era muito jovem, já demonstrava qualidade, mas, sinceramente, não me chamou à atenção a ponto de dizer: 'esse vai ser o melhor jogador do mundo'", revela Fabri ao jornal Uol Esporte.

Rendido à carreira feita por Ronaldo, "merecedor de ser considerado um dos maiores da história" do desporto-rei, o antigo avançado considera que o português está dependente da condição física para se manter ao mais alto nível, ao contrário dos craques Messi e Neymar, dada a superioridade em termos de capacidade técnica.

"Vês o Messi ou o Neymar a jogar e percebes que não precisam estar 100% fisicamente bem para poder exercer a profissão deles com grandeza porque a qualidade deles é absurda. O Ronaldo não. Apesar da técnica apurada, precisa de estar no auge fisicamente. Nunca deixou isso baixar, por isso é merecedor de ser considerado um dos maiores da história", refere Fabri.

Tomado pelo exemplo, o ex-futebolista brasileiro do Sporting, que se mostrou algo discreto em Alvalade (4 golos em 30 jogos), depreende ainda que Ronaldinho Gaúcho, lenda do Barcelona, poderia ter sido ainda melhor, quiçá o segundo, se tivesse o "profissionalismo" de Ronaldo.

"[Ronaldinho] Chegaria muito mais longe. Sou o fã número um do Ronaldinho, mas essa é uma realidade. Se ele se entregasse como o Cristiano Ronaldo faz, seria unanimemente o segundo maior da história" do futebol", acrescentou Fabri, pois Pelé "nem vale a pena comparar".