"Ronaldo não voltou ao Manchester United para ficar sentado no banco"

Cristiano Ronaldo começou o Chelsea-Manchester United no banco de suplentes

 foto AFP

Roy Keane, antigo jogador do Manchester United, não gostou de ver Cristiano Ronaldo iniciar o jogo com o Chelsea (empate 1-1) no banco de suplentes.

Ambos comentadores na "Sky Sports", Roy Keane, antigo jogador do Manchester United, e Jamie Carragher, antigo defesa do Liverpool, entraram no domingo em discussão devido à decisão de Michael Carrick, treinador interino dos "red devils", de começar o encontro com o Chelsea (empate 1-1) com Cristiano Ronaldo no banco de suplentes. O português entrou apenas ao minuto 64, substituindo Jadon Sancho, e Keane não gostou.

"O [Cristiano] Ronaldo não pode entrar no jogo vindo do banco. Ele não voltou ao clube para ficar sentado no banco. É um jogador de classe mundial, às vezes é preciso trabalhar em torno da super-estrela. Eu joguei com jogadores que podem não fazer o que estás à espera, mas tu perdoas os Cantonas desta vida porque eles marcam e ganham jogos", disse.

Por seu lado, Carragher concordou com a decisão. "Nestes jogos grandes... Eu entendo por que o Carrick não o colocou de início. Tem 36 anos. O Ronaldo já não é o jogador que foi, obviamente tem marcado golos, mas não acho que se deva fazer um grande drama se ele não integrar o onze em todos os jogos", afirmou, tendo Keane respondido logo de seguida.

"Não é em todos os jogos, mas este era um grande jogo para o Manchester United. Eu até perdoaria se acontecesse em alguns jogos da fase de grupos da Liga dos Campeões, se a equipa já estivesse apurada. Mas o Ronaldo é um tipo que ganhou tudo, que regressou ao United para tentar levantar o clube. Claro que ele quer estar nestes jogos, claro que quer jogar!"

"Todos os jogadores querem. Qual é o jogador que não quer jogar?", questionou o antigo jogador do Liverpool. "Não são todos jogadores de nível mundial. Nem todos têm 800 jogos na carreira. Se olhares para o Manchester United hoje em dia, todos querem Ronaldo em campo, independentemente do que se pense dele. Se a bola cai para alguém no mundo do futebol, esse alguém é Ronaldo, mesmo com 36 anos. Não é como se ele tivesse regressado, não tivesse marcado e as pessoas dissessem: "não tem velocidade, não está interessado". Ele está interessado."