Carlos Queiroz pressionado por ministro egípcio: "Se falhar o apuramento..."

Carlos Queiroz pressionado por ministro egípcio: "Se falhar o apuramento..."
Paulo Nunes Teixeira

Tópicos

Depois da derrota com a Nigéria, o Egito defronta este sábado a Guiné-Bissau e falhar a passagem aos "oitavos" da CAN pode ditar o afastamento do técnico. Ashraf Sobhi afirma que prioridade é garantir a presença no Mundial, mas alerta para a importância da atual competição, em que a seleção comandada pelo português é a maior vencedora: sete títulos

Alvo de críticas depois da derrota com a Nigéria na ronda inaugural, Carlos Queiroz só pensa no triunfo diante da Guiné-Bissau [hoje às 19h00] e está sob pressão, depois das palavras do ministro egípcio da Juventude e Desporto, Ashraf Sobhi.

"Queiroz foi contratado para assumir a equipa num momento difícil. A qualificação para o Mundial é a principal prioridade, mas a CAN é muito importante. Ganha à volta de 80 mil euros mensais e não estamos a pensar mudar a equipa técnica, mas se falhar a passagem à fase seguinte, teremos de considerar essa hipótese", disse Sobhi, citado pelo site "Kingfut".

Na antevisão ao encontro de hoje, Queiroz lembrou que o jogo com a Nigéria foi decidido em "detalhes" e mostrou-se pronto para dar outra resposta. "Pegámos no que é positivo e tentámos corrigir o que é negativo, procurando abordar da melhor forma o próximo jogo. É futebol... e se caímos uma vez, temos força para nos levantar cinco vezes", sublinhou, entre críticas ao VAR.

"O árbitro e o VAR também não fizeram o seu trabalho. Podíamos empatar o jogo, mas isto faz parte do futebol, não é uma desculpa, nem sequer uma falta de respeito pela Nigéria", frisou.

Confrontado com o rendimento de Salah, grande figura da seleção, Queiroz recusou dar nota negativa ao atacante do Liverpool, que jogou no eixo do ataque, considerando que o acerto coletivo é o mais importante.

"O Salah é parte de uma equipa, jogamos, ganhamos e perdemos em conjunto. Discordo com a ideia de que um jogador esteja isolado, digo sempre que o melhor jogador é a equipa. O nosso capitão, o Salah e os outros, jogam para a equipa. Estou certo de que vamos ver uma grande equipa do Egito, estou muito confiante que assim será", atirou.