Carlos Queiroz: "Lamento se alguns acham que algo não está bem"

Carlos Queiroz, selecionador do Egito

 foto AFP

Declarações de Carlos Queiroz, selecionador do Egito, na antevisão ao jogo com a Costa do Martins, dos oitavos de final da CAN.

Mensagem: "Em nome da seleção do Egito, permitam-me antes de mais expressar as nossas condolências às famílias enlutadas nos Camarões, na sequência dos acontecimentos de ontem [segunda-feira]. Os nossos corações, dos adeptos e dos jogadores egípcios, estão com eles nesta hora difícil, bem como com todos aqueles que estão a recuperar. Esperamos que possam voltar o mais depressa possível aos estádios de futebol."

Antevisão: "Este é um daqueles jogos que todos os profissionais sonham jogar, com duas grandes equipas no relvado, jogadores fantásticos dos dois lados, por isso esperamos espetáculo e felicidade dentro do estádio; esperamos que a nossa equipa possa ser a melhor no relvado, trabalhando duro e respeitando a Costa do Marfim, para que no fim possamos alcançar os nossos objetivos e sonhos, seguindo em frente na competição."

Historial favorável: "A estatística é importante e, claro, muito valorizada também pela imprensa. As estatísticas dão prestígio e reputação, mas o que nos interessa é o presente. O jogo é amanhã, jogado por jogadores e treinadores diferentes. Temos que escrever a história. O passado não nos ajuda a ganhar os jogos. Os jogadores do Egito estão totalmente focados no presente e a única coisa que nos interessa é entrar em campo, dar o melhor de nós, ter o melhor dia futebolístico das nossas vidas e terminar com uma boa vitória."

Evolução na competição: "Não há dúvidas, sobretudo para quem tem visto os nossos jogos, que estamos a progredir, jogo após jogo, dando alguns passos em termos de consistência e de como flui o nosso jogo. Como disse, estamos preparados para amanhã. E se continuarmos nesta direção, na qual confio e acredito, seremos uma melhor equipa. Os jogadores estão entusiasmados e preparados, sobretudo em transformar a oportunidade de amanhã num dos melhores dias das suas vidas. O que podemos garantir aos adeptos é que vamos dar o melhor, vamos ser fortes, respeitar o adversário, claro, mas o desejo, o coração, a alma estarão focados em apenas um objetivo, que é sermos os melhores."

Salah pediu apoio e união aos adeptos: "Parabéns ao Salah pela sua frontalidade, e pela forma como expôs essa necessidade de que todos os adeptos possam estar em torno da seleção nacional, apoiando-a numa direção, porque nós jogamos para os adeptos, nós jogamos para o povo. É importante que se perceba nas redes sociais que há uma equipa que está a tentar ganhar uma competição. Depois podemos falar tudo, mas durante a competição (o que tem acontecido) não é realmente a melhor forma de ajudar a equipa e os jogadores. Concordo totalmente [com o Salah]. E temos feito esse trabalho mental com os nossos jogadores que, posso assegurar, estão juntos e são como uma família; o staff também está unido e trabalhamos a cada dia para melhorar. Como disse o Salah, a competição está muito renhida, tem sido feita de resultados curtos; existe muita qualidade e equilíbrio, mas estamos a trabalhar para tornar felizes os nossos adeptos. Lamento se alguns acham que algo não está bem, porque como treinador também me sinto parte do país, mas o que posso garantir é que amanhã vamos jogar para eles, para o povo. É só isso que temos na nossa mente."