Um (J)amor arrebatador: a história ou o concretizar de um sonho

Um (J)amor arrebatador: a história ou o concretizar de um sonho

Final da Taça está de volta a casa e terá as bancadas cheias para um jogo que pode consagrar um vencedor inédito ou concretizar o sonho de Conceição.

A Taça de está de volta a casa para a grande festa do povo, que vai encerrar a temporada de 2021/22. Depois do piquenique e do convívio na mata, a bola vai rolar pela última vez com o campeão nacional e favorito FC Porto a defrontar o recém-despromovido Tondela num duelo que promete ficar para a história.

Com as bancadas cheias, depois de duas épocas à porta fechada em Coimbra, o Jamor volta a receber a decisão da prova rainha que vai consagrar um vencedor inédito ou permitir a nona dobradinha dos dragões, que seria a segunda sob o comando de Sérgio Conceição. O treinador ainda sonha em levantar o troféu no Estádio Nacional, um palco que é uma "espinha atravessada" no técnico, visto que perdeu as duas finais que lá disputou, ambas para o Sporting e nas grandes penalidades. Em 2014/15 ao serviço do Braga, em 18/19 pelos dragões.

"A oportunidade de uma vida". Foi desta forma que Nuno Campos, treinador dos beirões, resumiu os (pelo menos) 90 minutos desta tarde, naquela que é a primeira final do clube - nunca tinha sequer atingido os quartos de final - que conta no palmarés apenas um título da II Liga (e dois do nível 4 da III Divisão). E se o currículo do Tondela é curto, o do seu plantel não é muito mais rico. Só Salvador Agra já ganhou uma Taça de Portugal (pelo Aves) e Eduardo Quaresma é o único campeão em Portugal (Sporting, 2020/21). Há ainda, por exemplo, um campeão alemão (Tiago Dantas, que fez dois jogos pelo Bayern de Munique na época passada), um vencedor da Liga belga (Neto Borges), um campeão italiano (Simone Muratore fez quatro jogos pela Juventus em 19/20). Ao todo, os jogadores que compõem o grupo de trabalho de Nuno Campos têm 12 títulos conquistados - foram contabilizadas apenas provas de âmbito nacional e internacional a partir dos sub-20). A grande maioria dos jogadores tentam, esta tarde, levantar pela primeira vez nas carreiras um troféu.

Já para muitos dos portistas festejar títulos é quase como mais um dia no escritório. Só Pepe soma o dobro de conquistas de todo o plantel do Tondela. Marchesín pode chegar aos 12 e Uribe aos 10. Graças ao campeonato recém-garantido, não há dragões sem títulos no currículo e, todos juntos, já vão 127.

"Confiante mas desconfiado". As duas equipas terminaram o campeonato com uma diferença de 63 pontos pelo que pode dizer-se que o David vai defrontar o Golias. Sérgio Conceição, porém, não quer festas antecipadas e até os penáltis treinou como sinal de respeito por um adversário que enfrenta o jogo de uma vida. Na memória estarão ainda as finais da Taça de Portugal que perdeu (dessa forma) contra o Sporting.