Treinador do Paredes explica: "O prémio foi a vitória que tivemos antes do jogo"

Treinador do Paredes explica: "O prémio foi a vitória que tivemos antes do jogo"

Após perder por 1-0 e sofrer a eliminação, Eurico Couto viu o confronto como "um prémio" conquistado pelos jogadores, cumprindo o desejo de "jogar contra um "grande' na Taça de Portugal" terminando o jogo de maneira honrosa.

O jovem técnico de 34 anos afirmou que o Paredes recebeu a sua vitória particular antes mesmo de entrar no relvado para o jogo deste sábado com o Benfica. "O prémio foi a vitória que tivemos antes do jogo, toda a envolvência, este privilégio de ter a vivência de jogar contra um grande. Foi um prémio pelo nosso trabalho, jogámos contra o Benfica, não é uma equipa qualquer, com um grande treinador", destacou.

Eurico Couto avaliou que a equipa esteve bem defensivamente, apesar do "nervosismo" observado pelo treinador no primeiro tempo. "Não conseguimos ganhar o jogo, mas conseguimos mostrar um pouco do que nós somos e ficou evidente um pouco da nossa organização, sobretudo defensivamente. O que mais pedi foi para que os jogadores vivessem aquele momento", disse.

"Na segunda parte fomos um pouco mais agressivos. Chegámos onde pretendíamos. Na primeira parte tivemos um bocadinho de ansiedade, jogadores presos, ansiosos, a ver tudo à volta. Na segunda libertaram-se e ficamos mais perto daquilo que pretendíamos", completou na avaliação ao jogo.

Por ter sido derrotado por equipa de investimento financeiro infinitamente superior e de muito mais tradição pelo placar mínimo, Eurico foi questionado se deixava a Taça de Portugal satisfeito. Respondeu em tom de resiliência. "Quando se perde nunca é bom, não saio feliz porque perdi. Não nascemos para perder, mas pelo desempenho da equipa saio satisfeito", pontuou.