"Jesus disse que temos dois ou três jogadores com experiência de II Liga. É mentira"

"Jesus disse que temos dois ou três jogadores com experiência de II Liga. É mentira"

Convocatória do Benfica: "Convocatória com algumas ausências, Jorge Jesus já tinha alertado para isso, é normal porque tem muitos jogos. O Benfica tem sempre grandes jogadores de qualidade. Será sempre um grande Benfica. Temos de ter cuidado com as dinâmicas que criam."

Dinâmicas: "A equipa de Jorge Jesus ataca muito bem em profundidade, podemos dizer que exagera no jogo interior e mais não digo, porque ele, como mestre da tática e com muitos anos de carreira, poderá aproveitar algumas coisas e não quero que seja um momento para fragilidades da minha equipa. Quero que a minha equipa seja muito organizada e não perca a sua identidade quer com bola, quer sem bola. Vamos ter mais dificuldades e ter de pensar mais rápido. Queremos jogar pela oportunidade de nos dar a conhecer. Ou seja, se amanhã, no final do jogo, alguém quiser muito saber o nome de um ou dois jogadores, já ganhamos. É a maior vitória."

Defesa do Benfica: "Quando pomos em caso de Vertonhgen e Otamendi, não faz sentido nenhum. Basta ver a carreira dos dois, são dois centrais de grandíssima qualidade. Se calhar há outras situações mais importantes para rever, Na minha modesta opinião, talvez o meio-campo seja menos capaz do que os dois centrais."

Surpresa: "Na nossa cabeça existe uma enorme convicção de que podemos ganhar, independentemente das poucas probabilidades que temos. O Jorge Jesus disse que temos dois ou três jogadores com experiência de II Liga, isso é mentira. Não temos um sequer no plantel, o que não quer dizer que não tenham qualidade, eles não tiveram oportunidade para jogar na II Liga. Somos uma equipa com jogadores de escalões inferiores e com jogadores da sua formação que nem sequer conseguiram competir em divisões nacionais na sua formação."

Motivação: "Há motivação extra, mas costumo dizer que se um jogador precisa de motivação, não é jogador. É normal que haja um entusiasmo e assim possam transcender o seu rendimento. Para alguns, este será um jogo único frente a equipas deste nível. Para muitos será o primeiro, como é para mim, como treinador. Mais ansiedade, é normal. Estas vivências vão torná-los melhores. É um jogo especial. Quero habituar-me a isto, com a presença da comunicação social. Não gosto da derrota, vou com intuito de ganhar."