"Quem está num clube com a dimensão do Sporting só pode pensar em ganhar"

"Quem está num clube com a dimensão do Sporting só pode pensar em ganhar"

Nuno Cristóvão, treinador do Sporting, comentou a conquista da Taça de Portugal.

Análise e sofrimento: "Sofre-se sempre. Um amigo que trabalha nas competições diz que estamos no terço final da nossa vida profissional. É mesmo verdade. Tenho uma equipa técnica fantástica. Vou maturando as informações que me dão. Sofremos, como sofremos sempre. Tinha muito confiança na equipa. Temos jogadoras muito cansadas, umas fizeram o jogo número 58 da temporada. A Diana é um caso desses. Está neste momento a fazer o estágio do curso de farmácia. O Braga é uma grande equipa, muito bem orientada. Hoje [domingo] teve o infortúnio de não ganhar o jogo, mas faz parte da vida.

Futuro: "O Sporting deu-me a oportunidade de treinar com condições de excelência e com jogadoras de elite. Se me perguntarem se eu quero continuar, eu continuo. Se perguntarem ao Sporting se quer que eu continue, basta reunirmo-nos e falar. Havemos de chegar a um consenso. Há interesse da direção. Queriam falar comigo amanhã [segunda-feira] e disse que não porque quero ir ver a minha mãe, que está numa residência sénior. Tenho sentido sempre o apoio da direção do clube e do diretor do futebol feminino. Feliz ou infelizmente não vivo do futebol e quando tiver de dizer alguma coisa, digo".

Elogios às jogadoras: "A Patrícia Morais é uma jogadora de elite. Para a posição de guarda-redes, tenho três excelentes jogadoras. Provavelmente, uma irá sair porque quererá jogar. Teremos de contratar uma. Conheço muito bem a Patrícia desde o 1.º Dezembro. Fez-lhe muito bem passar por França. Era o sonho dela. Cresceu enquanto mulher e enquanto jogadora. Tenho pena que as jogadoras do plantel do Sporting não tivessem mais tempo de jogo. São tão ou mais importantes as que jogam como as que não jogam. Estou muito bem servido.

Importância do Sporting e críticas: "Quem está num clube com a dimensão do Sporting só pode pensar em ganhar. O jogo teve várias nuances. Estivemos bem na primeira parte. O Braga criou-nos muito perigo nos lances de bola parada. As pessoas criticam-me muito porque guardo as substituições para a parte final. Escolhi as 11 que me pareciam melhor. O jogo vai-nos dando sinais. Quando sofremos o golo chamei a Solange para entrar. Entretanto o golo foi anulado, mas eu não ia voltar atrás. Continuou a aquecer. Se visse que o jogo ia para penáltis iria colocar a Solange e a Nadine em campo. Mas primeiro queríamos ganhar o jogo".