Sulejmani manteve o Benfica vitorioso

Sulejmani manteve o Benfica vitorioso

Equipa de Jorge Jesus foi sempre superior e até se deu ao luxo de desperdiçar uma grande penalidade, por Funes Mori na primeira parte.

O Benfica venceu este sábado o Gil Vicente por 1-0 e concluiu só com triunfos a terceira fase da Taça da Liga em futebol, apesar de ter jogado com uma equipa secundária e desperdiçado uma grande penalidade.

Na última partida do grupo D, disputada no Estádio do Restelo, devido às más condições do relvado da Luz, o Benfica revelou um domínio absoluto, criando muitas dificuldades à progressão do Gil Vicente, que esteve quase sempre remetido ao seu meio campo defensivo e não fez um único remate à baliza adversária.

O golo solitário dos "encarnados", que já tinham garantido um lugar nas meias-finais, foi marcado aos 56 minutos, pelo médio sérvio Sulejmani, após um cabeceamento à barra do avançado argentino Funes Mori, que falhara um penálti aos 30.

Apesar de dominar por completo, o Benfica só conseguiu instalar o perigo na área adversária no último quarto de hora do encontro, depois de Jorge Jesus "injetar sangue novo" na equipa, com a entrada de Bernardo Silva, Helder Costa e João Cancelo para os lugares de Djuricic, Sulejmani e André Almeida, respetivamente.

Quando faltavam pouco minutos para o apito final, dois remates de Helder Costa, aos 86 e 87 minutos, e um de Bernardo Silva após cruzamento de Silvio, aos 88, quase permitiam ao Benfica dilatar a vantagem no marcador, o que se justificava.

Na primeira parte, a equipa de Jorge Jesus dominou, embora colocando pouca intensidade no jogo, tendo como grande ocasião para abrir o marcador uma grande penalidade assinalada pelo árbitro Bruno Esteves aos 29 minutos, por derrube de Funes Mori na área gilista.

Chamado a converter, o argentino disparou à figura do guarda-redes Adriano e, na recarga, Djuricic e Sulejmani atrapalharam-se e não conseguiram rematar.

Aos 33 minutos, após um canto marcado na esquerda por André Gomes, a bola andou uns segundos a passear-se sobre a linha de golo, mas não surgiu qualquer jogador "encarnado" para a empurrar para as redes à guarda de Adriano, que salvou com os pés.

Este Benfica alternativo foi a única equipa a procurar o golo, conseguindo por isso uma vitória justa, embora a margem mínima não traduza o trabalho desenvolvido dentro das quatro linhas.

Com o apuramento para as meias-finais da Taça da Liga garantido e a equipa de Barcelos já afastada da prova, o Benfica fechou a terceira fase com três vitórias em outros tantos encontros.

A equipa de Jesus somou também a segunda vitória sobre o Gil Vicente no último mês, depois dos 5-0 na Luz, que lhe permitiu seguir em frente na Taça de Portugal.

A partida de hoje poderá ainda funcionar como um ensaio para a deslocação do Benfica a Barcelos, no próximo sábado, numa partida da 17.ª jornada da I Liga.

Jogo no Estádio do Restelo, em Lisboa.

Ao intervalo: 0-0.

Marcador: 1-0, Sulejmani, 56 minutos.

Equipas:

BENFICA: Paulo Lopes, André Almeida (João Cancelo, 83), Steven Vitória, Jardel, Sílvio, Rúben Amorim, Iván Cavaleiro, André Gomes, Sulejmani (Hélder Costa, 77), Djuricic (Bernardo Silva, 78) e Funes Mori.

(Suplentes: Bruno Varela, Lolo, Hélder Costa, João Cancelo, Rúben Pinto, Lindelof e Bernardo Silva).

Treinador: Jorge Jesus.

GIL VICENTE: Adriano Facchini, Gabriel, Pek"s, Danielson, Vitor Vinha (Luís Martins, 67), Luan (Simy, 72), Leandro Pimenta, Luis Silva, Caetano (Diogo Viana, 58), Avto e Paulinho.

(Suplentes: Caleb, Luís Martins, Diogo Viana, Simy, Brito, Vitor Gonçalves e Nélson Agra).

Treinador: João de Deus.

Árbitro: Bruno Esteves (Setúbal).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Vitor Vinha (29), Steven Vitória (36), Luan (44), Leandro Pimenta (54) e Djuricic (69).

Assistência: 6.664 espetadores.