Nacional vence Leixões para cumprir calendário

Nacional vence Leixões para cumprir calendário

Mesmo sem recorrer aos seus habituais titulares, a equipa de Manuel Machado não permitiu que o adversário protagonizasse qualquer surpresa.

O Nacional venceu este domingo fora o Leixões por 2-0, num jogo relativo à terceira e última jornada da terceira fase da Taça da Liga em futebol, com golos de Lucas (50 minutos) e João Aurélio (52).

O encontro serviu apenas para cumprir calendário, uma vez que as duas equipas já haviam perdido para o Benfica o acesso às meias-finais, e, por isso, os dois treinadores aproveitaram para rodar jogadores raramente utilizados.

Mesmo sem grande parte dos seus titulares, o Nacional mostrou qualidade superior ao seu adversário, da II Liga, em especial no segundo tempo.

Na primeira parte, o Leixões, com muitas ausências por castigo, teve as primeiras ocasiões de golo, por Moedas (nove minutos) e Materazzi (10), mas não as aproveitou.

Depois desses sustos iniciais, a equipa madeirense foi tomando conta do jogo e acabou com as veleidades leixonenses.

O Nacional desfez a dúvida sobre o resultado em dois minutos, na parte inicial da segunda metade, em dois lances em que João Aurélio teve papel preponderante.

No primeiro golo, João Aurélio acelerou, ultrapassou facilmente Huguinho, cruzou e Lucas, solto, aproveitou e inaugurou o marcador.

Dois minutos volvidos, uma jogada entre os recém-entrados Rondon e Candeias permitiu a João Aurélio apontar o segundo, com um remate forte.

Foi, assim, com autoridade, simplicidade e também facilidade, que o Nacional resolveu as coisas a seu favor.

O Nacional manteve o pé no acelerador durante mais alguns minutos e o Leixões tremeu e só não sofreu mais golos porque o Jorge Batista esteve muito bem.

O guarda-redes leixonense anulou uma investida perigosa de Rondon e defendeu uma grande penalidade, ao adivinhar o lado para onde Sequeira rematou.

O Leixões procurou limitar os danos e Pedro Pinto teve tudo para fazer o golo de honra da sua equipa, o que só não conseguiu porque o seu remate saiu fraco e à figura de Rui Silva.

Mailo também ameaçou por duas vezes a baliza do Nacional (76 e 79 minutos), mas falhou na hora de alvejar a baliza - e assim o Leixões sai da Taça da Liga sem ter marcado qualquer golo na terceira fase.

Jogo no Estádio do Mar, em Matosinhos.

Ao intervalo: 0-0.

Marcadores: 0-1, por Lucas,50 m; 0-2, João Aurélio, 52m.

Equipas:

LEIXÕES: Jorge Batista, Pedro Pinto, Zé Pedro, Materazzi, Huguinho, Tiago Lenho, Moedas, Novais (Talles, 55), Rui Coentrão (Rui Cardoso, 75), Fábio Zola e Pedras (Mailo, (55).

(Suplentes: Ricardo, João Viana, Nuno Silva, Talles, Anderson Grafite, Mailo e Rui Cardoso).

Treinador: Pedro Correia.

NACIONAL: Rui Silva, Campos, Aly Ghazal, Diogo, Sequeira, Rafa (Claudemir, 55), João Aurélio, Jota (Candeias, 49), Saleh Gomaa, Reginaldo (Mário Rondon, 49) e Lucas.

(Suplentes: Ricardo Batista, Marçal, Mário Rondon, Candeias, Claudemir, Djaniny e Miguel).

Treinador: Manuel Machado.

Árbitro: Pedro Proença (Lisboa).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Tiago Lenho (11), Pedro Pinto (34 e 86) e Reginaldo (43). Cartão vermelho por acumulação de amarelos para Pedro Pinto (86).

Assistência: Cerca de 500 espetadores.